1ª Vara Cível de Camboriú e Prefeitura promovem palestra sobre relações familiares

A 1ª Vara Cível da Comarca de Camboriú irá promover, no dia 30 de julho, uma palestra sobre o amor e os conflitos nas relações entre pais e filhos. O evento integra o projeto “Justiça Sistêmica: vínculos de amor” e é organizado em parceria com as secretarias de Educação e Desenvolvimento e Assistência Social. A palestra será sediada no auditório da escola municipal Anita Bernardes Ganancini, a partir das 19 horas.

A terapeuta e consteladora familiar, Marilise Einsfeld, irá ministrar a palestra. O evento é direcionado para pais ou responsáveis legais por crianças matriculadas nas escolas municipais Abalor Américo Madeira, Anita Bernardes Ganancini, CAIC Jovem Ailor Lotério e Domingos Fonseca; assim como nos Centros de Educação Infantil (CEI) Abelardo Torquato Rosa, Eurípedes de Paula da Silva, João de Souza Arruda, Julita Pereira e Tânia Regina Garcia. Interessados devem se inscrever nas secretarias das unidades de ensino.
A palestra abordará dinâmicas familiares recorrentes e tem como objetivo propor a reflexão sobre as relações humanas. “Precisamos reforçar aos pais quais funções eles exercem no desenvolvimento dos filhos e a importância da demonstração de afeto. Uma criança tem que se sentir segura, saber onde pedir ajuda, encontrar carinho dentro de casa. É necessário também que o professor saiba qual o seu lugar nesse contexto. Muitas vezes, a escola tenta solucionar, interferir no relacionamento familiar e esquece da verdadeira função dela”, declara a secretária de Educação, Alecxandra Vitorassi Rosa.
A secretária de Desenvolvimento e Assistência Social, Andréia de Souza Machado, acredita que a palestra pode amenizar discussões atuais de familiares e melhorar a vivência dentro das residências. “A participação de moradores inseridos nesse contexto é essencial”, pontua.
O projeto
O projeto “Justiça Sistêmica: vínculos de amor” foi lançado em outubro de 2017, sob a coordenação da juíza da 1ª Vara Cível da Comarca de Camboriú, Dra. Karina Müller Queiroz de Souza. A iniciativa visa estabelecer novas soluções para as relações familiares em conflito e, consequentemente, restaurá-las.
“Constatamos que o processo, em regra, caracteriza-se como um sintoma de um conflito entre partes e, que muitas vezes, vai além do que as leis e decisões judiciais podem resolver. Em processos envolvendo questões de família, tem-se visto que embora as partes façam algum acordo ou haja uma sentença, o conflito entre elas muitas vezes permanece”, explica Karina.
Desde a criação, o programa realiza reuniões, palestras e oficinas que discutem, por exemplo, a relação entre pais e mães e a nova estruturação da família após a separação. Além disso, são ofertadas constelações e mediações familiares.
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.