Acusada de incendiar casa do padre é presa em Camboriú

A polícia Civil de Camboriú prendeu, na manhã de sábado, a mulher suspeita de incendiar a casa do padre Antonio Wilbert. D.C.D.A., 39 anos, que já estava sendo procurada pela justiça, foi encontrada no bairro Rio Pequeno.

Segundo a polícia, os indícios recaíam sobre a mulher por conta de uma desavença com o padre e porque a mulher já tinha incendiado a casa da mãe em 2014.
Em janeiro do ano passado, D. foi presa em flagrante após roubar o carro e outros pertences do padre Antônio. Durante a prisão, ela chegou a ameaçar o padre de morte e disse que incendiaria a casa dele.

Ela foi condenada a cinco anos e oito meses de prisão pelo roubo, mas deixou a penitenciária mais cedo: em 24 de abril desse ano.
Quarta-feira passada, horas antes do incêndioe, D. teria ameaçado o religioso de morte, dessa vez com uma faca.
Segundo a polícia Civil, ela fez ameaças até mesmo dentro da central de Plantão Policial de Balneário Camboriú. Horas após as ameaças, a casa do padre foi queimada.
Pra polícia Civil, a mulher pode ter achado que o padre estava em casa, pois a luz da cozinha estava acesa e o carro dele estava na garagem.

“D. teria agido com intenção de matar, demonstrada pelas inúmeras ameaças de morte, intensificadas recentemente, após deixar o cárcere”, disse o delegado Paulo Caixeta Braga Junior, responsável pelas investigações.
D. foi presa por força de um mandado de prisão preventiva – aquela por tempo indeterminado – e na delegacia não quis prestar depoimento.
Ela foi levada para o cadeião do Matadouro em Itajaí.

Por Diarinho

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com