Após entraves, PSL SC terá nova Executiva em Janeiro

O Deputado Federal Daniel Freitas (PSL-SC), publicou na tarde deste sábado, uma nota a respeito do pedido de extinção da executiva estadual montada por Lucas Esmeraldino em Dezembro de 2018.

O pedido de intervenção foi solicitado por 3 dos 4 deputados federais eleitos pelo PSL de SC.



Confira a nota na íntegra.

——

Após a vitoriosa trajetória dos candidatos do PSL nas eleições de 2018 – fruto do trabalho das bases e das lideranças de direita-, o presidente estadual do partido, Lucas Esmeraldino, firmou compromisso para debater em 2019 a formação da nova Executiva Estadual do PSL.

Ocorre que em dezembro de 2018, quebrando a palavra de forma personalista e sigilosa, Lucas ESCOLHEU TODOS os membros da executiva estadual ligados de alguma forma a seus interesses particulares. De maneira nada republicana, Lucas enviou a Brasília o documento com a suposta executiva visando um único interesse: ter o controle absoluto do partido em Santa Catarina.

Depois de ouvir as bases, unicamente em defesa da ética e daqueles que não têm voz, decidimos agir. É por não admitir que projetos particulares de poder se perpetuem que decidimos nos opor frontalmente a este ensaio de ditadura e controle absoluto dentro do partido.

Como deputados federais, protocolamos um documento na sede do PSL Nacional. Para o bem do PSL/SC, do espírito republicano e da moralidade que deve sempre nortear a condução do partido, o pedido foi aceito.

Uma nova executiva provisória será composta. Em conversa pessoal em Brasília com o vice-presidente Rueda – e por via telefônica com o presidente do PSL nacional, Luciano Bivar – ficou acordado que nos próximos dias ele virá a SC para dialogar e montar uma nova executiva provisória, com a participação de todos, inclusive do atual presidente, haverá finalmente o debate, de forma democrática e transparente.

Com essa notícia, comunicamos que o objetivo de atender as bases e tornar o PSL democrático novamente foi cumprido. Por último e não menos importante: a AÇÃO proposta por nós sempre teve caráter PROVISÓRIO e não definitivo. A partir de agora, com o compromisso do PSL Nacional, trabalharemos pelo consenso.

Caroline De Toni, Coronel Armando e Daniel Freitas

—-

Entenda o Caso

Um documento assinado por três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL em Santa Catarina, requeria ao presidente nacional do partido, Luciano Bivar, a destituição da Executiva em Santa Catarina, presidida por Lucas Esmeraldino, atual Secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável do governo Carlos Moisés da Silva.

Entre as principais razões para a mudança os parlamentares relacionam a decisão de Esmeraldino de nomear uma nova Comissão Executiva Estadual, no final de 2018, sem ouvir as bases do partido, e de estar se distanciado das lideranças municipais. Alegam, ainda, que, assumindo cargo no primeiro escalão do novo governo, Lucas Esmeraldino está impedido de comandar o PSL em Santa Catarina.

Os três deputados reiteram apoio ao governo Moisés e indicam uma nova Executiva à Executiva Nacional.
Ela teria na presidência a deputada federal diplomada Caroline De Toni, como vice o deputado federal diplomado Luiz Armando Schroeder Reis e como secretário-geral o deputado federal diplomado Daniel Costa de Freitas.

Comente Abaixo