Assassinos do McDonalds são identificados e tem a prisão decretada

Das quatro pessoas suspeitas de envolvimento na morte do técnico de informática Cesar Augusto Izzo, 29 anos, assassinado no drive-thru do McDonald’s, na madrugada de domingo, em Balneário Camboriú, três foram identificadas pela polícia. Elas continuam foragidas.

Patrick Boscato Vicente, 22 anos, a esposa Janaína Souza Freitas, 24, e Rafael de Souza, 24, o Lobinho, tiveram a ordem de prisão temporária decretada pela justiça. Eles são procurados pela polícia. Uma quarta pessoa também estaria metida no crime.
O delegado Vicente Soares, da divisão de Investigações Criminais (DIC) de Balneário Camboriú, divulgou ontem informações sobre o caso. A polícia chegou até os suspeitos a partir das imagens da câmera de monitoramento da lanchonete que mostra a discussão e depois os disparos contra a vítima.



A placa do Fiesta PJA-2400 (Juazeiro–BA), usado pelo grupo, a polícia identificou Patrick como o dono do carro. Ele era o motorista e foi quem atirou contra a vítima. Foram seis disparos.
A mulher dele, Janaína, tava como caroneira, e foi quem passou a arma pra Patrick atirar, após Rafael começar a confusão com Cesar Augusto, que tava com a esposa no Palio, placa HHR-3954 (Ribeirão Preto-SP). Havia uma quarta pessoa no Fiesta pelo que mostram as imagens das câmeras, mas ela ainda não foi identificada.

Os três foragidos são moradores de Camboriú e todos têm ficha na polícia. A polícia pediu a prisão temporária após não rolar um acordo com advogado do trio nas tratativas pra que se entregassem. O defensor, que procurou a DIC, não aceitou as exigências da polícia, segundo Vicente.

Motivo banal
O delegado Vicente Soares diz que o crime teve motivação banal. “Pelas imagens, é possível observar que o carona do carro do autor [dos disparos], o Rafael de Souza, começa a implicar com todas as pessoas que passam pelo local, inclusive com o Cesar Augusto Izzo, a vítima que estava no carro de trás. Ele começa a xingar, a fazer gestos. Então a vítima se irrita, sai pra discutir, e foi isso que levou à fatalidade”, relata.

Enquanto Rafael e Cesar discutem, Patrick também sai do carro e começa uma confusão. Patrick volta pro carro, recebe a arma da mulher e retorna pra atirar contra Cesar enquanto o técnico de informática briga com Rafael.

Após os disparos, o grupo foge de carro e deixa a vítima caída no chão. Um segurança da lanchonete chega a acompanhar a briga. Ele foi ouvido como testemunha. Outros depoimentos ainda serão tomados pela DIC antes de o inquérito ser finalizado e entregue à justiça.

Info: Diarinho

Imagens da câmera de segurança gravou o homicídio.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.