Avião faz pouso forçado no aeroporto de Navegantes

Apista do aeroporto de Navegantes ficou fechada por três horas, ontem, depois que o avião bimotor turboélice, modelo Piper PA-31T Cheyenne, prefixo PT-OCL, sofreu um acidente durante a aterrisagem. Entre as 9h50 até às 12h55, pousos e decolagens ficaram suspensos.

Quatro voos foram afetados, sendo um da Gol com destino a Congonhas (SP), um da Azul com destino a Campinas (SP), outro da Azul com destino a Porto Alegre (RS) e um da Avianca com destino a Guarulhos (SP). As companhias tiveram que manter as aeronaves no pátio até a liberação da pista.
Outras duas linhas com chegada prevista não pousaram no aeroporto pela manhã. O voo da Gol 1266, com saída de Guarulhos, foi alternado para Florianópolis, enquanto o voo da TAM 3121, de Congonhas, nem chegou a decolar de São Paulo.

De acordo com a assessoria da Infraero, dos quatros voos que atrasaram, três decolaram logo após a liberação da pista e outro teve que fazer a troca de tripulação antes de ser autorizado a seguir viagem.
O fechamento da pista rolou em função da possibilidade de ter peças e pedaços do bimotor no chão, o que comprometeria a segurança dos pousos e decolagens.
A Infraero informou que a aeronave quebrada foi rebocada com a ajuda de um guincho, sendo levada para o hangar de manutenção d. O avião tinha três pessoas a bordo, entre piloto, co-piloto e um passageiro. Ninguém se feriu.

Aviãzinho fazia o transporte de valores

A aeronave era operada pela empresa de Táxi Aéreo Hércules, de Curitiba (PR). Fazia o transporte de valores. Dois carros-forte foram autorizados a circular na pista para recolher o dinheiro.
A Infraero não informou os motivos que levaram o avião a arriar de barriga na pista. Informações que circularam entre funcionários foi de que o problema teria ocorrido com o trem de pouso. Imagens mostram a frente do avião encostada no chão, com outra parte fora da pista.
Funcionários disseram que, quando a aeronave estava se preparando para aterrissar, o piloto teria mudado o lado da cabeceira da pista para pousar. Por isso, ele recolheu o trem de pouso para fazer a manobra e fazer a aterrissagem. No entanto, teria esquecido de baixar o trem de pouso, provocando o acidente. Essa versão não foi confirmada oficialmente.

A assessoria da Infraero em Brasília informou que o acidente será apurado pelo centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão ligado à Aeronáutica.
O DIARINHO tentou contato com os responsáveis pela empresa. No hangar 14 do aeroporto de Bacacheri, onde a Hércules tem sede, o atendente disse que a pessoa que poderia falar sobre o assunto já tinha saído. Em contato pelo celular, o responsável não quis se identificar. Ele se limitou a dizer que houve apenas um “incidente” e que o caso será investigado. Ele confirmou que ninguém se machucou.
A página da empresa no Facebook informa que a Hércules foi homologada pela agência Nacional de Aviação Civil (Anac) em 2002 para atividades de transporte aeromédico, de passageiros e de carga. Pode atuar na América Latina. “Hoje com uma frota de 13 aeronaves, a Hércules se tornou referência e solução em UTI aérea e uma das maiores empresas de Táxi Aéreo do Brasil”, diz a descrição no site.

Transtorno pros passageiros
Com os voos parados, os passageiros que aguardavam no terminal tiveram que esperar a reabertura da pista para seguir viagem. O último voo atrasado foi liberado no meio da tarde.
O comerciante Alisson Cardoso teve o voo da Avianca para Guarulhos remarcado para às 15h. Com o imprevisto, perdeu a conexão que faria em São Paulo, com avião de outra empresa.

Ele e a mulher, junto com um casal de amigos, tavam em viagem de férias para o Chile, onde ficariam até sábado. O grupo ia tentar remarcar a conexão em Guarulhos. “A gente vai tentar resolver lá com a TAM, pra ver se eles vão reembolsar a outra passagem pra mais tarde”, comentou.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com