Beto Carrero usa sem licença antigo poço artesiano da Casan

Em meio à crise de abastecimento de água em Penha, o parque Beto Carrero World teria reativado irregularmente um antigo poço artesiano da Casan, conhecido como Bambuzal.
O poço fica numa área pertencente ao parque, mas pra fazer uso da água do local, o parque precisaria ter a liberação da concessionária Águas de Penha, empresa responsável pelo abastecimento da cidade. A Águas de Penha diz que não autorizou. O parque alega ter autorização da Casan, mas a companhia estadual também nega.

Reforma no poço



O poço fica no final da rua João Pinto Junior, no bairro Gravatá, numa área atrás do parque. O local foi reformado pelo Beto Carrero, ganhando um gerador que tá cercado por tela de proteção. Perto do poço, conectada por um encanamento, foi montada uma base de madeira onde os caminhões-pipa param pra abastecer. A água estaria sendo levada para uso interno do parque.
O gestor de Águas e Saneamento da prefeitura de Penha, Edpo Cristiano Bento, informou que soube da denúncia e ontem esteve no local. Ele não chegou a entrar na área privada do parque, mas diz que, mesmo do limite da cerca, deu pra perceber que a estrutura estaria mesmo sendo usada.

Edpo informa que o caso foi repassado para a Águas de Penha. A empresa deve adotar as medidas necessárias.
A denúncia da irregularidade, revela Edpo, foi feita por um antigo funcionário da Casan. O poço, desativado há cerca de oito anos, teria capacidade de produzir 20 mil litros de água por hora.
A quantidade, segundo o gestor de Águas, daria pra atender boa parte do bairro Gravatá. “Pelo menos em umas quatros ruas do bairro já daria uma amenizada”, estima.
Ironicamente, a rua que mais sofre com a falta de água no Gravatá é a João Pinto Junior, uma lateral da Timóteo Perfeito Flores que dá acesso ao poço do Bambuzal. O bairro é um dos mais prejudicados com o desabastecimento em Penha porque fica no final da rede. Quando tem muito consumo, ocorre pouca pressão na tubulação e a água não chega às torneiras das casas.

De acordo com Edpo, há outros dois poços antigos da Casan desativados em Penha, um na prainha de São Miguel e outro no bairro Santa Lídia, que pararam de ser usados por ter excesso de ferro. Se confirmada a boa qualidade da água do poço que tá sendo usado pelo Beto Carrero, ele observa que a Águas de Penha poderá fazer a captação no local pra atender a cidade.

Casan desmente parque

Em nota, a assessoria do Beto Carreto World informou que o parque tem a documentação de uso autorizada pela Casan. “A solicitação foi feita após consulta de qual instituição estaria responsável pelo poço artesiano localizado dentro da área de propriedade do parque. Não há, portanto, irregularidade nesta questão”, diz o texto.
A Casan, no entanto, respondeu que não deu autorização alguma. “A Casan não tem mais ingerência alguma nos sistemas de Abastecimento de Água (SAA) dentro do território de Penha. Ao ser municipalizado o SAA – e terceirizado – à Casan não cabe mais nenhuma orientação operacional. Nunca emitimos autorização”, afirma a nota da companhia estadual.

A prefeitura de Penha rompeu com a Casan em 2011. Em 2015, a Águas de Penha assumiu o serviço de distribuição de água em Penha. A concessionária esclareceu que nunca operou o poço e que não tem atribuição pra outorgar poços em áreas particulares. O uso da captação no local, no entanto, será estudado.
A viabilidade de uso do poço do Bambuzal e de outros poços desativados na cidade pra abastecimento foi discutida em reunião ontem com lideranças comunitárias e representantes da prefeitura. “Estes poços, assim como sua vazão e qualidade da água, serão avaliados por comissão técnica da Águas de Penha”, informa a empresa.

Leitora desconfia de caminhões pegando água no reservatório de Armação

Leitora enviou para o DIARINHO fotos de caminhões-pipa de empresas privadas pegando água nos reservatórios que a concessionária Águas de Penha têm num terreno às margens da avenida Inácio Francisco de Souza, esquina com a rua Sérgio Gentil Serpa, em Armação.

Nas fotos, aparecem caminhões de três empresas diferentes, abastecendo no local. Ela desconfia que os caminhões-pipa estivessem vendendo a carga. “Acho errado, porque tem muita família sem água”, disse, informando que ligou para a Águas de Penha e fez a denúncia.

Em nota, a Águas de Penha informou que contratou três empresas para fazer o transporte de água solicitado pelo povão que mora nos locais onde houve baixa pressão nas torneiras. “Um dos pontos que pode ser utilizado é o reservatório da Armação”, disse, em nota.

A Águas de Penha reforçou que o serviço ainda continua e o povão pode fazer a solicitação gratuitamente através de uma ordem de serviço. A entrega não é cobrada, apenas a água fornecida.

 

Diarinho

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.