Carelli Construtora é novamente alvo de investigação da Polícia

A Construtora Carelli, de Balneário Camboriú, recebeu uma visita dos policiais do grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), na manhã de ontem. Três mandados de busca e apreensão foram cumpridos. A operação é fruto da investigação da 2ª Promotoria de Justiça de Camboriú, que apura corrupção na aprovação de alterações no plano diretor para beneficiar loteadores da cidade.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa de Dalmo Carelli, em Camboriú, e em dois endereços comerciais da Carelli, na Terceira avenida e na rua 1822, no centro. A operação apura crimes de concussão, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. Cerca de 60 pessoas estão sendo investigadas.

Segundo Cauey Carelli, um dos sócios da construtora, os policiais estavam atrás de informações sobre projetos e propriedades da empresa em Camboriú. Embora tenha rolado a batida na casa do pai de Cauey, Dalmo, o empresário não foi levado para depor. Somente documentos foram apreendidos.
Cauey disse que eles nunca foram citados ou questionados sobre os crimes investigados na operação Terra Prometida. “Estamos à disposição para esclarecimentos de toda e qualquer informação que for necessária para colaborar com esta investigação”, disse Cauey.

Veja Também
Polícia Federal deflagra operação Conexão MIAMI em Balneário Camboriú e Itajaí na manha desta terça-feira.
Operação “Terra prometida” do GAECO investiga corrupção em Camboriú
Ex-prefeita de Camboriú, Luzia Coppi Mathias é presa pelo Gaeco

Operação Terra Prometida

A Operação Terra Prometida é resultado de uma investigação iniciada no ano de 2015 com base em notícia-crime recebida pelo GAECO de Itajaí, cujo conteúdo indicava que vereadores do Município de Camboriú receberiam vantagens indevidas para promoverem alterações no plano diretor municipal que beneficiassem, sobretudo, empresários ligados ao ramo de loteamentos imobiliários.

A operação foi deflagrada no dia 22 de junho, quando foram cumpridos sete mandados de prisão e 25 mandados de busca e apreensão em residências, escritórios particulares e órgãos públicos, nos Municípios de Camboriú, Balneário Camboriú, Bombinhas, Ilhota, Itapema e Tijucas.

O nome Terra Prometida foi escolhido em razão de que parte dos pagamentos de propina oferecidos e pagos aos servidores públicos investigados era realizado por meio da entrega de lotes até então pertencentes às empresas beneficiadas pelo esquema criminoso.

Conexão Miami

Em Maio deste ano, a Carelli foi alvo de uma ação da Polícia Federal chamada de Operação Miami, que culminou com a prisão de um dos proprietários, bem como, busca de apreensão no escritório da empresa.
Na ocasião, a PF mobilizou 45 policiais para cumprir 09 (nove) mandados de busca e apreensão e 02 (dois) mandados de prisão temporária – prisão com prazo de 05 dias -, em Balneário Camboriu/SC e Itajaí/SC. Além disso, a Polícia Federal iniciou cooperação jurídica internacional para realizar o interrogatório dos três empresários estrangeiros, com envio de rogatórias para os EUA e a Alemanha.
O esquema começou a ser desvendado durante a operação Ex-Cambio que investigou quatro organizações criminosas compostas por doleiros que realizavam evasão de divisas mediante fraude cambial, gestão fraudulenta de instituição financeira e lavagem de dinheiro.

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com