Comandante Moisés é eleito governador de Santa Catarina

A apuração dos votos ainda continua no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), porém matematicamente Moisés não pode ser mais alcançado pelo seu oponente, Gelson Merísio.

Ás 18:50, com 89,53% das urnas apuradas, Moisés já alcançava 71,35% dos votos. Carlos Moisés da Silva, do PSL, foi eleito governador de Santa Catarina para os próximos quatro anos.



Carlos Moisés da Silva nasceu em 17 de agosto de 1967 em Florianópolis. Atuou por mais de 30 anos no Corpo de Bombeiros da capital catarinense e das cidades de Criciúma e Tubarão, ambas no Sul do estado. Na maior parte do tempo, foi comandante do quartel. Está na reserva desde 2016.

Também foi coordenador regional da Defesa Civil. É formado em direito pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). Esta foi a primeira vez que disputou um cargo político.

Nas pesquisas do primeiro turno feitas pelo Ibope, Moisés não estava entre os três primeiros colocados. Na última delas, divulgada dois dias antes da votação do dia 5 de outubro, ele aparecia em quarto lugar, com 9% dos votos. Porém, obteve 29,72% dos votos no primeiro turno. Na pesquisa realizada na última sexta-feira (26), Moisés aparecia com 52% dos votos totais e 59% dos votos válidos.

Na reta final da campanha do segundo turno, alegando problemas de saúde, Moisés não compareceu ao debate na NSC TV na quinta-feira (25). Com isso, conforme as regras assinadas por representantes dos dois candidatos, o outro candidato, Gelson Merísio (PSD) foi, então, entrevistado por 20 minutos ao vivo.

Confira principais propostas

  • liberar o estado das ações que não consegue entregar, chamando parceiros da iniciativa privada
  • reduzir número de cargos comissionados e secretários de estado
  • Promover parcerias com instituições de ensino para o fomento do empreendedorismo.
  • Estimular a produção agropecuária e pesqueira com identificação geográfica, através de incentivos fiscais.
  • Fomentar o esporte como meio de prevenção, socialização e integração
  • Implementar a educação integral e incentivar o ensino técnico
  • Investir em saúde integral com foco em prevenção, diminuindo a morbidade, sofrimentos, tempo de espera e gastos com saúde pública
  • Aliar novos recursos tecnológicos potencializando a atividade de inteligência na segurança pública
  • Reestruturar o sistema prisional, fomentando parcerias público-privadas para a profissionalização do apenado, consolidando a custódia e a reinserção social
  • Fomentar a recuperação, manutenção e ampliação da malha rodoviária
  • Fomentar o saneamento básico e abastecimento de água
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.