Denúncia: Empresas ligadas ao gabinete de Gelson Merísio receberam fortunas em verbas publicitárias.

O Portal Visse recebeu novas denúncias sobre a verdadeira “farra” envolvendo verbas de publicidade da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC) e Governo do Estado. Desta vez, empresas ligadas diretamente á assessoria do Deputado Gelson Merísio, teriam se beneficiado com os valores.

Outras denúncias

Em setembro de 2017, o Visse? publicou uma denúncia em que o assessor de um dos Deputados estava recebendo verba de publicidade. O que é proibido.
Depois da denúncia feita pelo portal, o gabinete do Deputado Gabriel Ribeiro (PSD), emitiu uma nota dizendo que desconhecia o caso e que pediu a exoneração imediata do assessor.



As novas denúncias, podem até não ser ilegais. Pois não se trata, na teoria, de uma empresa de assessor. Mas na prática, são de pessoas diretamente ligadas a assessores.

Antes de mais nada, para ficar registrado, o assessor do Deputado Gabriel Ribeiro, que foi demitido em setembro de 2017 pelas irregularidades apontadas pelo Visse?, foi admitido novamente no dia 1º de março de 2018.  Como pode ser visto abaixo.

A denúncia

Informações dariam conta de que uma empresa ligada ao assessor Fabian Favero Varela, já denunciado pelo Visse?, estaria novamente recebendo verbas.
A reportagem foi atrás da informação e encontrou muito mais que isso. Como podemos ver nas linhas seguintes.

A empresa em questão é a WHATS UP COMUNICAÇÃO LTDA, empresa com matriz em Xanxerê e filial em Florianópolis.
O CNPJ da Whats Up tem como sócio administrador Maxwell Vinicius Favero Varela, que é primo em primeiro grau de Fabian.

 

A empresa recebe através de dois CNPJs, Matriz e Filial, verbas de publicidade da ALESC desde 2014. O montante de valores, entre 2014 e 2018, ultrapassa 240.000 reais em anúncios.
Buscando no site do governo do estado, a surpresa. A Whats Up recebeu também, no mesmo período, do governo do estado, montantes que ultrapassam os 220.000 reais em verbas publicitárias. O extrato pode ser visto abaixo.

 

Os valores pagos pela ALESC para a empresa Whats Up Comunicação, podem ser conferidos, mês a mês neste link: http://transparencia.alesc.sc.gov.br/pagamentos.php

Em família

Indo um pouco mais a fundo nas pesquisas e buscando mais informações, a reportagem descobriu que, além da empresa Whats Up Comunicação que está em nome de Maxwell Vinicius Favero Varela que é primo de Fabian Favero Varela, ela é a empresa responsável e razão social dos sites tudosobrefloripa.com.br, tudosobrelages.com.br, tudosobrechapeco.net e tudosobrexanxere.com.br.

Os sites acima mencionados, estão registrados no nome de Paulo Roberto Varela, pai de Maxwell.
Acontece que Paulo Roberto é assessor de gabinete, desde 2009, do Deputado Gelson Merísio, que também é do PSD de Gabriel Ribeiro, patrão de Fabian.

Os registros dos sites, podem ser conferidos nas imagens abaixo.

 

 

Mais uma empresa

Além das situações relatadas acima, a reportagem apurou que Maxwell ainda é sócio administrador em uma outra empresa, a Folha Regional Comercio De Jornais LTDA. 

O Folha Regional, recebeu nos últimos anos da ALESC, mais de R$130.000,00 em assinatura e verbas de publicidade.
Consultado no site da transparência do governo do estado, é possível ver números que ultrapassam os R$260.000,00 em verbas de publicidade.

Embora o site do Folha Regional não recebe atualização desde Julho de 2017, o Portal Visse apurou que o jornal impresso ainda está em circulação.
Vale salientar também que todos os dados, informações e imagens exibidas acima, são públicas e estão disponíveis nos portais de transparência tanto da ALESC quanto do Governo do Estado.

Em resumo, juntando as duas empresas, estamos falando de mais de R$ 840.000,00 em verbas de publicidade vindas do Governo do Estado e Assembleia Legislativa em 4 anos.
E todos os valores com destino, direta ou indiretamente, a mesma pessoa.

O que mais espanta são os valores aplicados. Campanhas mensais, em veículos digitais e valores de até 20.000 reais por um determinado período de campanha. Valores estes que são impraticáveis em sites de alcance regional. Contudo, os valores pagos pela ALESC por exemplo, passam pelo crivo da Direção de Comunicação da casa legislativa, neste caso, Tamy Soligo que por sua vez, tem uma relação bem próxima com Merísio.

Como falado no início da matéria, a princípio, a prática denunciada acima pode até não ser ilegal. A definição cabe a cada um que toma conhecimento dos fatos.

Presidência da Casa

O deputado Gelson Merisio (PSD) encerrou em fevereiro de 2017 o seu terceiro mandato como presidente da Alesc, comandando o Legislativo nos anos de 2010, 2011, 2012, 2015 e 2016.

Em contato por e-mail com a ALESC, a assessoria de comunicação emitiu a seguinte nota:

“A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, através de sua Diretoria de Comunicação Social, informa que toda a publicidade institucional relativa a projetos da Casa Legislativa é realizada através de contratos estabelecidos com agências de publicidade licitadas, em total cumprimento ao que determina a Lei 8.666.

Informa ainda que todos os investimentos em veiculação são estabelecidos a partir de marcadores técnicos. Os contratos realizados com veículos de comunicação estão disponíveis no Portal Transparência justamente para o acompanhamento e fiscalização por parte da população.

Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina”

O que diz o gabinete do Deputado Gelson Merísio.

Em contato por email, a assessoria do deputado diz que acompanha e reitera o posicionamento do Departamento de Comunicação Social da ALESC

Sumiram

O material levantado nesta reportagem, bem como o contato feito com as assessorias da ALESC e Gabinete do Deputado foram em Abril.
Após isso, nenhum pagamento mais foi feito para nenhuma das empresas, nem pelo governo do estado e nem pela ALESC.

 

 

 

 

 

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.