Dirigentes do centrão fazem apelo para que Ciro modere críticas a Temer

Acima da linha da cintura

Dirigentes de partidos do centrão que atuam para dar apoio a Ciro Gomes (PDT) na disputa pelo Planalto pediram ao pedetista que modere o tom das críticas ao presidente Michel Temer. Ciro já chamou o emedebista de quadrilheiro e disse que quer vê-lo preso. Essa agressividade deixa siglas como o PP, que ocupa quatro cargos no primeiro escalão, em situação muito desconfortável. Ninguém espera que Ciro se cale, mas querem que ele faça o debate “no campo da política”.



Sem fissura 

No bloco de cinco siglas do centrão, três partidos decidiram marchar juntos sob qualquer hipótese: DEM, PP e Solidariedade. E, nesse grupo, Ciro Gomes ainda tem certo favoritismo ante o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

Maomé vai à montanha 

Ciro esteve em SP no início desta semana para conversar com o governador Márcio França (PSB). Disse que seu partido tem interesse em apoiar o pessebista no estado. Com o gesto, tenta fazer com que França deixe de se opor a uma aliança nacional do PSB com o PDT.

Cabo de guerra 

O PSB se tornou a noiva mais disputada da esquerda. PT e PDT travam uma batalha pelo partido. O governador Paulo Câmara (PSB-PE) atua pelos petistas, mas sabe que as chances de um acordo em torno de Lula são quase nulas. Tenta convencer o partido a ficar neutro.

Peso pesado 

Nas pesquisas do PSB, cerca de 60% dos pernambucanos declaram voto em Lula. O índice fez Câmara assegurar à presidente do PT, Gleisi Hoffmann, que ainda que a sigla dela lance Marília Arraes (PT) para concorrer no Estado, ele vai defender o nome do ex-presidente.

Cartada final  

Numa última tentativa de atrair a legenda, Gleisi vai propor que o PT apoie, além de Paulo Câmara em Pernambuco, os candidatos do PSB aos governos de AP, AM, TO, RO e PB.

Sem pressa 

A proposta pesou na decisão do presidente do PSB, Carlos Siqueira, de adiar a reunião da semana que vem que definiria a posição da sigla.

Em tuas mãos 

O ministro Ronaldo Fonseca (Secretaria-Geral), da Assembleia de Deus, foi escalado para encontrar um pastor para assumir a vice de Henrique Meirelles (MDB).

Versão brasileira 

Jair Bolsonaro (PSL) esteve com o embaixador dos Estados Unidos, Peter Michael McKinley, há menos de duas semanas. O presidenciável tem dito a aliados que é preciso se aproximar dos EUA. Parentes dele ainda tentam um encontro com Donald Trump.

Versão brasileira 2 

Procurada, a embaixada americana informou que respeita a “independência do processo eleitoral” e que está se reunindo com os principais presidenciáveis do país, mas não especificou quem mais recebeu.

Alvo 

Em evento com empresários do RN, Meirelles voltou as baterias contra Ciro e Bolsonaro. Disse que o primeiro fala bem e acredita no que diz, “mas está completamente errado”. O segundo, afirmou, fala contra a política, mas “é político há 20 anos. Aí Não bate”.

Deixa disso 

A sinalização de Jaques Wagner a Valdemar Costa Neto de que o PT poderia ceder a cabeça da chapa presidencial ao empresário mineiro Josué Alencar (PR) irritou dirigentes petistas. Se insistir na tese, o ex-ministro será desautorizado.

Saída de emergência 

Wagner, dizem colegas de partido, faz esses movimentos para tentar fugir da pecha de plano B na disputa ao Planalto.

Menino rebelde 

Antes de levar a proposta a Valdemar, Wagner já havia apresentado essa tese ao PT, que rechaçou.

Retorno 

O STJ discutirá na volta do recesso a restrição do foro especial de desembargadores. Há dois processos na pauta do tribunal para agosto.

Fica

 O caso de Rogerio Favreto, o juiz do TRF-4 que mandou soltar Lula em um domingo de plantão, continuará na corte por estar diretamente vinculado ao exercício da função.


TIROTEIO

Quem imaginaria ver Temer e Lula na mesma direção? Os polos se atraem quando há perigo de vitória do adversário

Do presidente do PDT, Carlos Lupi, sobre a ofensiva de PT e Michel Temer para demover o centrão de apoiar Ciro Gomes ao Planalto

 

Folha de São Paulo

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com