Dois são presos pela morte de homem encontrado carbonizado em carro na Interpraias

Dois homens foram presos temporariamente suspeitos de terem participado da morte do empresário gaúcho Márcio Rodrigo dos Santos, 38 anos, informou neste sábado (24) a Polícia Civil. O corpo da vítima foi encontrado carbonizado no porta-malas de um carro no dia 13 de setembro, numa estrada de chão às margens da Avenida Interpraias, em Balneário Camboriú, no Litoral Norte.

Em 2017, o empresário chegou a ser preso no Rio Grande do Sul, suspeito de chefiar um esquema de pirâmide financeira.



Responsável pelo inquérito do assassinato, o delegado Vicente de Assis Soares, da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balnerário Camboriú, disse que a motivação do crime estaria vinculada à atuação do empresário. “Os suspeitos participaram da pirâmide e tiveram prejuízos financeiros”, disse.

O primeiro suspeito foi preso em casa, no dia 16 de outubro, em Torres (RS). O segundo, no dia 20 de novembro, também na própria residência, em Passo de Torres, no Sul catarinense. Os dois estão no Presídio da Canhanduba, em Itajaí, no Vale.

As investigações continuam, segundo a Polícia Civil, porque ainda há outros suspeitos de envolvimento no homicídio.

O crime

O carro em que o corpo carbonizado de Márcio estava, um Audi A/4, foi encontrado em chamas às margens da Av. Interpraias. A partir da placa a polícia descobriu que o carro era da vítima, que teria saído de casa por volta das 22h para uma reunião de negócios e não voltou.

Márcio era natural de Sapiranga (RS) e morava havia alguns meses em Balneário Camboriú, segundo a Polícia Civil.

As investigações apontam que o empresário foi atraído a um encontro sob o pretexto de que seria apresentado a investidores interessados em seus negócios, e acabou morto pelos dois homens que foram presos pela polícia.

Depois, com a intenção de dificultar a identificação da vítima, a dupla colocou fogo no veículo com o corpo dentro do porta-malas.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.