Empresário diz que torres não vão mais pegar área de mangue

O empresário Carlos Trossini, dono da holding Taroii, garante que mudou o projeto da Marina Home Resort e não há mais previsão de que o empreendimento ocupe área de mangue do rio Camboriú, em Balneário Camboriú. “Hoje o projeto evoluiu e o mangue está totalmente fora do projeto. Toda área de APP (preservação permanente) às margens do rio está fora do projeto atual”, afirmou ao DIARINHO.

O projeto de autorização do empreendimento chegou na semana passada para ser votado na câmara de Vereadores. Mas não foi pra frente. O vereador Joceli Nazari (PPS) pediu vistas do projeto para avaliar o impacto que causará ao meio ambiente.



Segundo Carlos Trossini, no entanto, os impactos serão mínimos, já que o projeto mudou e agora as quatro torres, as garagens, a marina, o centro comercial e o heliponto vão ficar fora do mangue. As construções, afirma, serão levantadas numa área do terrenão que chamou de “já impactadas”. Ou seja, com aterro e vegetação detonada há mais de 20 anos.

Pra compensar os impactos ambientais, afirma, vão aumentar a extensão da reserva natural que pretendem criar junto ao Marina Home Resort. “Acabamos de comprar uma área anexa de mais 150 mil metros quadrados, só para proteger, junto com a área do empreendimento. Será a maior unidade de conservação privada do município”, ressalta.

A marina, diz ainda o empresário, será fora da área do mangue, diferente do que previa o projeto original.
Carlos Trossini lembra que o projeto foi apresentado ao conselho da Cidade em 2014, passou por modificações, voltou ao conselho em 2016, foi aprovado em audiência pública e agora está sendo apresentado na câmara Municipal, já que se trata de um “projeto especial”, ou seja, não previsto no plano diretor.

O investimento, afirma, será de R$ 350 milhões e vai gerar 800 empregos diretos. O terreno fica entre a beira da BR 101 e a margem do rio Camboriú.

 

Por Sandro Garcia / Diarinho

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com