Eu voltei – Coluna “Ao meu ver”, por Gian Del Sent

Após 6 meses de inatividade na coluna, cá estou eu, dedilhando o teclado no frio litorâneo do meu país tropical, na coluna que pode não ser a mais lida e nem a mais temida, mas que já deixou muito nego triste por ai. Sigo minha rotina de, pelo menos uma vez por semana, “escrivinhar” alguma coisa por aqui. Mais ácido, mais crítico e mais EU do que nunca.

Tudo como antes
O pior de passar seis meses sem escrever nada, é saber que tu voltas a ativa e tudo continua quase igual. Não tem muitas novidades e as coisas andam como dantes no quartel d’Abrantes.



Nem tudo

Em abril o Portal Visse? anunciou em primeira mão as mudanças no secretariado do governo New Ideas. Para a intriga de uns e dúvidas de outros, relatei com detalhes e acertei 5/7. Na verdade acertei 7/7 mas algumas mudanças aconteceram e 2 não se confirmaram. Eu ainda acho que vão acontecer. Esperar pra ver.

EMASA

Uma das mudanças que anunciei era a saída de Douglas Beber do BCPrevi. Disse que ele iria para o FETPC, mas as coisas mudaram um pouco com a pedida de boné de Carlos Haacke e Douglas assumiu a direção da autarquia.

EMASA II

Douglas é, de fato, um homem de grande confiança do prefeito da Dubai Tupiniquim. Afinal, tanto a EMASA quanto o BCPrevi, são os “caixas fortes” da prefeitura. E para comandar ambas, tem que ser confiável. Não da pra deixar lobo cuidando das galinhas.

EMASA III

Haacke pediu o boné. Sua justificativa foi não concordar com o que queriam fazer. Acho que o Sr Carlos esqueceu que era “gente grande” do governo. Essa mesma desculpa foi usada por muito peixe pequeno para justificar uma exoneração mal digerida. Assim como Jorge Teixeira, na minha opinião, isso foi apenas medo de usar a “Mont Blanc” em ações que poderiam causar algum tipo de “explicações” ao MP. Assim como Jorge, Haacke também é uma pessoa de posses e tinha medo de assinar muita coisa. Ai eu pergunto: Então porque aceitou?

EMASA IV

Nada me tira da cabeça que essa pedida de boné tem a ver com o contrato renovado que não poderia renovar pois o próprio contrato dizia que tinha um limite de renovação. Entendeu?
A debandada que rolou la dentro foi algo impressionante. Ninguém matou no peito se foi usado uma Bic, Kilometrica ou uma Mont Blanc.

Câmara

Minha passagem pela Casa do Povo foi, apesar dos cabelos brancos que brotaram, algo bom. Tiver a oportunidade de trabalhar com profissionais formidáveis e dirigir um departamento com uma equipe que tem sede de fazer bonito. E mesmo tendo uma entrada meio “conturbada” pela maneira que foram conduzidas as coisas, creio que minha saída acabou sendo mais conturbada ainda. Nunca fui indicado do chefe do executivo, mesmo sendo visto como tal por muitos. Afinal, se assim fosse, ainda estaria por la.

Manda quem pode… 

O fato é que “exonera quem pode, vai embora quem não tem padrinho”. E assim se resume minha saída. Mesmo com data marcada para o “enforcamento”, trabalhei até o último minuto e fiz o que pude dentro do tempo que me foi dado. Me apliquei na criação de projetos e dei andamento ao que estava em aberto. Mas como nessas horas competência não conta muito, sobra quem não tem onde se “calçar” num sistema onde a política fala mais alto. Ao menos, neste caso, foi assim.

Reforma

Esta semana me perguntaram, “E a reforma na administração, como está?”. Eu respondi, a do gabinete está pronta!.
O que era para os 100 dias, ficou para agosto de 2017, depois para outubro, depois para Março 2018, depois para Maio, depois para (…). E até agora sequer foi para analise da Câmara de Vereadores. Continuamos na espera.

Eleições 2018

Já está fervilhando no Vale do Itajaí, uma porção de pré candidatos para as eleições deste ano. As redes sociais tem sido o ambiente ideal para a proliferação dos que querem uma vaga no legislativo estadual e federal. A verdade é que nada está muito definido neste momento, pois todos dependem de articulações estaduais e federais dos seus partidos para poder se firmar de vez como um possível concorrente a vaga.  O que se pode ver neste momento é apenas troca de farpas, muito vídeo, muita foto com cafezinho e nada de propostas. O povo não quer saber com quem você tomou café, sobre o que você acha do possível adversário ou se você conversou com lideranças nos bairros. O povo quer saber o que você vai querer fazer por ele. A receita é simples.

Penosos da Dubai

Temos dois modelos de “Ave Fênix” em nossa cidade.
A verdadeira, de nome Leonel Pavan, que sofreu um baque na saúde, passou adormecido, quieto, isolado, sumido e longe dos holofotes. Resguardou sua recuperação em sua privacidade. O momento foi intitulado por alguns como “O fim da era Pavan”. Mas o velho guerreiro “faca na bota” ressurge firme e forte esbanjando, acima de tudo, gratidão. Pronto para o trabalho.
E tem a do Paraguai, que se acha águia, mas nunca será mais que um “Psittacidae”. Some misteriosamente e desaparece quando lhe convém. E só da as caras quando alguém mostra uma de suas KHdas. E pior, além de não assumir nada em momento algum, ainda transfere para outrem as culpas de tudo o tempo todo. Passou anos adormecido dentro de seu gabinete, quando estava lá.
E hoje, a cada notícia que mostra as suas defecadas administrativas, faz mais alarde que galinha quando põe um ovo.

UPA Nações

Embora o nome daquele espaço não é UPA e já falei diversas vezes que NUNCA SERÁ, chamarei assim para facilitar o entendimento. Foi para a mídia estadual o que tenho falado faz bastante tempo. Houve alterações na execução do projeto que deixam o prédio em desconformidade ao que exige o Ministério da Saúde para habilitar como UPA24h. O ex-alcaide, saiu falando por ai  “É só abrir. Como que viram as irregularidades só agora?”. O que ele não deve saber, convenientemente, é que essas irregularidades já foram apontadas pela Vigilância estadual em 2014.

Re-anunciado

Deve ser por isso que a construção, anunciada como iniciada em Dez/2012 e com prazo de execução de 5 meses, passou 4 anos na mão do home e não abriu.
Sem contar que houve licitação em 2012 no valor de 1.2mi. A empresa foi contratada, placa colocada, obra anunciada. Depois cancelaram o contrato e licitaram de novo, 6 meses depois, no valor de 1,9mi. E o início da obra, anunciada em Dez/2012, foi “re-anunciada” em Nov/2013. Só que desta vez, com um prazo de execução de 10 meses.

Tem mais

O assunto do UPA ainda vai render bastante. O maior questionamento de quem está conseguindo entender a situação é o porque do governo municipal demorar tanto para tornar isso público.
Eu concordo que demorou bastante pois o relatório mostrando tudo isso está pronto desde junho de 2017. Mas o prefeito, querendo tirar leite de pedra, tentou de tudo para conseguir a aprovação. Resumindo, não conseguiu. E não sei até que ponto essa luta foi boa ou ruim.

Breve, “Farinha pouca, meu pirão primeiro II ” 

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com