Falsos seminaristas e frades são suspeitos de enganar fiéis para cometer furtos e golpes

Falsos seminaristas e frades são suspeitos de enganar fiéis para furta-los e praticar golpes, em Goiânia. Algumas vítimas – em geral, idosos – relatam que eles se passam por parentes distantes e conseguem levar pertences das casas da residência. Membros da Igreja Católica alertam que a instituição não pede dinheiro na residência das pessoas.

Uma idosa de 74 anos, que prefere não se identificar, foi enganada por um desses suspeitos. Ela alega que o homem foi até sua residência e a ludibriou, se passando por afilhado dela.

“Madrinha, você não lembra de mim não? Falei ‘não lembro meu filho’. Você vai me perdoar, mas eu não lembro de você de jeito nenhum. E eu nem desconfiei”, lembra.

Ela acabou deixando o homem entrar e, entre conversas e orações, ao sair para pegar um copo de água, o suspeito furtou o celular e R$ 600 dela, fugindo em seguida.

“Mas nessas alturas ele já tinha picado a mula. Foi embora rapidamente mesmo”, lembra.

No último mês de dezembro, um homem de 25 anos foi preso suspeito de se passar por frade franciscano. Vestindo uma túnica, ele pedia dinheiro para motoristas no trânsito dizendo que era para ajudar a igreja.

O padre Rodrigo de Castro Ferreira, da Paróquia Sagrada Família, situada na Vila Canaã, disse que os fiéis da região também afirmaram terem sido vítimas de golpes semelhantes. Ele alertou que é preciso ficar atento.

“Nunca devem abrir as portas, porque de fato é perigoso. Lembrando que a vítima é sempre um idoso. A igreja nunca pede dinheiro na casa de uma pessoa”, explica.

G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, por mensagem, às 7h53 desde sábado (5), para saber se há alguma investigação em curso e aguarda retorno.

Comente Abaixo