Fartura. Pescadores de SC celebram encerramento da safra artesanal da tainha

Terminou nessa sexta-feira (29), a safra artesanal da tainha, mais de um mês antes do previsto, porque o limite estabelecido pelo Ministério do Meio Ambiente, de quase 1,2 mil toneladas foi atingido. Nas praias de Florianópolis, a manhã foi de rede cheia. Em apenas dois ranchos de pescadores, foram pegas mais de 10 mil tainhas.

A equipe do rancho do pescador Rinaldo Manoel dos Santos saiu duas vezes para o mar nesta sexta, às 5h e às 7h. “No primeiro, pegamos pouco, mas também foi bom, deu tudo certo. No segundo, acertamos essa malha muito boa”, contou.



A rede de Rinaldo, feita com a tarrafa, é uma das poucas que ainda podem pescar tainha, pelas regras do Ministério do Meio Ambiente. A pesca com a rede de emalhe e anilhada terminou na quinta-feira (28), um mês antes do previsto, já que o Ministério colocou um limite de quase 1200 toneladas de tainhas que já foram capturadas.

Agora, só mesmo em uma rede de arrasto, liberada até dezembro. Em Santa Catarina, a tainha veio tarde, segundo os pescadores, para os quais o mês de maio decepcionou. Apesar disso, a expectativa e o gosto pela tainha não diminui.

“A gente conta os dias para chegar a pesca da tainha. Já estamos quase em julho e sabemos que falta menos de um ano para a próxima safra”, disse o pescador Dalmo dos Santos.

Fonte: G1

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.