Florianópolis tem morte, troca de tiros e disparos contra sede do Governo do Estado

A noite de domingo e a madrugada de segunda-feira foram, mais uma vez, violentas em Florianópolis. A Polícia Militar registrou ao menos três ações criminosas durante a noite, incluindo disparos contra o Centro Administrativo do Governo Estadual e troca de tiros com os agentes. Um adolescente de 17 anos morreu baleado durante um confronto.

O primeiro caso ocorreu por volta das 23h de domingo na rua Professor Aníbal Nunes Pires, na subida para o Morro da Queimada. A Polícia Militar estava fazendo rondas pela região quando recebeu disparos de arma de fogo, revidando os tiros em seguida. De acordo com a corporação, ninguém foi detido e os policiais não foram feridos.



Alguns minutos mais tarde os policiais foram chamados para outra ocorrência, desta vez na região continental. De acordo com os policiais, um grupo de homens roubou um carro Fiat Ducato e estava incendiando o veículo na Avenida Governador Ivo Silveira, no bairro Estreito. Quando os agentes chegaram no local, trocaram tiros com os criminosos.

Dois adolescentes foram baleados durante o confronto, ambos com passagem policial de acordo com a PM. Um jovem de 17 anos, com passagens na polícia por estelionato e posse de drogas, acabou morrendo no local. Outro jovem, de 16 anos e com histórico de crimes como tráfico de drogas, receptação, resistência e lesão corporal, foi encaminhado ao hospital ainda com vida. O veículo foi recuperado e encaminhado na 3ª Delegacia de Polícia da Capital.

A última ocorrência foi registrada já na madrugada de domingo, no bairro Saco Grande. A guarita aos fundos do Centro Administrativo do Estado de Santa Catarina, localizada na SC-401, foi alvo de cerca de cinco disparos por arma de fogo. Os autores do crime ainda não foram identificados.

Fim de semana violento

A noite de sexta teve outros casos de violência. Walace Índio de Farias, conhecido como Mocotó ou Bichinho, de 18 anos, foi baleado após tiroteio com policiais militares e civis que realizavam cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão contra ele. Durante aquela madrugada ainda foram registrados um homicídio, dois ataques a bases da PM e um adolescente de 17 anos atingido por uma bala perdida.

​Após os casos de sábado, a Polícia Militar reforçou o efetivo para evitar represálias dos criminosos e organizou dezenas de unidades táticas nas ruas durante a noite de sábado e a madrugada de domingo na Grande Florianópolis. Segundo o comando da corporação, o resultado foi de uma noite tranquila na região, com exceção de um caso em Palhoça, no bairro Caminho Novo, onde a casa de um PM foi alvo de disparos por arma de fogo.

 

DC

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.