GAECO cumpre mandato de busca e apreensão na Prefeitura de Itapema.

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) realizou uma operação no Setor de Alvarás da Prefeitura de Itapema na manhã desta segunda-feira(24)

Uma equipe do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu mandados de busca e apreensão no setor de alvarás da prefeitura de Itapema nesta segunda-feira. O Gaeco presta apoio a uma investigação conduzida pela promotora Ariane Jaquier, da 2ª Promotoria de Justiça de Itapema. O Ministério Público ainda não se manifestou oficialmente, mas segundo informações da procuradoria do município, o alvo da operação é a uma suposta negociação ilegal de alvarás temporários.

Veja mais em: GAECO deflagra a operação Castelo de Areia em Itapema

As suspeitas já vinham sendo investigadas pela própria prefeitura em uma sindicância. O procurador geral, José Patrício Fontoura, diz que a administração começou a receber denúncias quando assumiu a prefeitura, em janeiro, sobre um suposto esquema que vinha ocorrendo na liberação de alvarás. O setor teria liberado mais autorizações do que o permitido, em troca de valores em dinheiro.

“O que deveria ser uma taxa normal para o município estava sendo vendido por valores exorbitantes, na faixa de R$ 10 a 15 mil cada alvará, afirmou o procurador do Município.

As taxas extras teriam sido cobradas de vendedores que atuam nas praias, comercializando artigos como cangas e chapéus de praia. Desde junho, a prefeitura de Itapema suspendeu todas as emissões de alvarás temporários, até que as suspeitas sejam esclarecidas.

De acordo com informações preliminares, duas pessoas foram detidas.
Uma coletiva de imprensa está marcada para às 16h, no quartel da PM em Itapema.

Mais informações em breve.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com