Geração de empregos fecha positiva pelo terceiro mês consecutivo em SC

Pelo terceiro mês consecutivo Santa Catarina registrou saldo positivo na geração de emprego formal. Em setembro, o Estado abriu 8.011 vagas, o segundo melhor resultado do país, atrás de Pernambuco (13.992). Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira.

Esse foi o melhor resultado desde fevereiro deste ano para Santa Catarina e o mais expressivo para o mês desde 2013, quando 11,2 mil novos postos de trabalho foram gerados. Para se ter ideia, em setembro do ano passado, a geração de emprego em SC, apesar de positiva, foi de 3,5 mil vagas, menos da metade do registrado agora.

No acumulado do ano, o saldo entre o total de admissões (709.747) e o de demissões (672.536) foi de 37,2 mil, uma variação positiva de 1,91% ante o mesmo período de 2016. Já no país, o mês de setembro teve nova alta, a sexta consecutiva e a sétima no ano. O crescimento foi de 34.392 postos de trabalho, equivalente a 0,1% em relação ao saldo do mês anterior.

Maioria dos setores registrou saldo positivo

Entre os oito setores de atividade econômica analisados no Caged no período, apenas um, o de administração pública, teve desempenho negativo (-79). Entre os segmentos com saldo mais expressivo, destaca-se a indústria de transformação, com 2.696 novos postos, seguido por serviços (2.501) e comércio (2.072). Agropecuária, que em agosto registrou saldo negativo de 251 vagas, se recuperou em setembro e consolidou 416 novos registros, a maior variação entre os setores com 0,97%.

— Santa Catarina está na frente do restante do país na recuperação, saindo de uma situação complicada, e a tendência, se não houver nada diferente, principalmente na política, por que a economia é muito suscetível, é de crescimento. Digo isso por que já chegamos ao último trimestre e isso acaba movimentando ainda mais o comércio, o que ocasiona maiores pedidos à indústria. A ideia é que esse setor (da indústria) siga em ascendência _ analisa o consultor financeiro da Federação das Indústrias do Estado (Fiesc), Paulo Guilhon.

Apesar do resultado e do cenário positivo, o comércio ainda é o setor que amarga o pior desempenho do ano entre as demais áreas em Santa Catarina com o fechamento de 3.462 empregos formais. A tendência, no entanto, é de uma trajetória de crescimento para o setor, avalia o economista da Fecomércio-SC, Luciano Córdova.

— Duas coisas são importantes para justificar o efeito sazonal que são as festas de outubro e a proximidade do fim de ano, que movimenta os setores de serviços e comércio. O setor já estrutura uma recuperação, a indústria, assim como o crédito, estão voltando aos poucos. Prova disso é que a criação de vagas foi para quase todos os setores, ainda que de maneira mais lenta — afirma.

Entre as cidades catarinenses, São José, na Grande Florianópolis, e Blumenau, no Vale do Itajaí, se destacam com a criação de 660 e 522 novos postos de trabalho, respectivamente. Já Tubarão teve a maior queda, 248.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com