Governo do Estado deve R$ 40 milhões ao Cepon

Principal unidade de tratamento do câncer do Estado, o Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon) vive há meses uma situação crítica. O drama angustia os médicos, profissionais da saúde e servidores. Traz, sobretudo, aflição aos seus milhares de pacientes. E tornou-se mais agudo nos últimos dias.

Na origem da crise, uma dívida acumulada do governo de R$ 40 milhões. Nem o contrato de repasse mensal de R$ 5,9 milhões vem sendo cumprido. As transferências tem sido de 80% desse valor.

Consequência: as dívidas com os fornecedores somam mais de R$ 9 milhões. Com os atrasados, somam 40 milhões.  No período mais agudo, o Cepon não tinha sequer medicamentos câncer de mama. As pacientes ficaram sem a indispensável assistência.

Outro problema considerado gravíssimo: os débitos atingem também os serviços essenciais, como manutenção, vigilância, zeladoria e nutrição. As empresas já ameaçaram suspender os serviços terceirizados. Se isso acontecer, o Cepon para.

Em reunião convocada pelo Ministério Público Estadual, o secretário estadual da Fazenda, Almir Gorges, justificou os repasses reduzidos pela crise e prometeu maior empenho no futuro. Autorizou, inclusive, um bônus emergencial da Agricultura no valor de R$ 900 mil.

O Hospital do Cepon atende 500 pacientes por dia com consultas, tratamento de quimioterapia e radioterapia e cirurgia ambulatorial. A qualidade da assistência é consenso entre pacientes.

 

Fonte: Diário Catarinense

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com