Justiça determina que idosa seja acolhida em abrigo pago por sobrinho e município de Tijucas

A Justiça determinou em caráter liminar que a prefeitura de Tijucas, Grande Florianópolis, e o sobrinho da idosa de 64 anos abandonada em frente a um asilo em Brusque, no Vale do Itajaí, paguem pelo acolhimento dela em uma instituição. A reportagem não conseguiu contato com a família ou a prefeitura.

A idosa foi abandonada na noite da última quarta-feira (11) em um asilo particular. Imagens de câmera de segurança mostram um carro indo embora e ela ficando na porta do local sozinha, no frio de cerca de 10ºC. O dono do asilo disse não poder recebê-la e chamou a Polícia Militar, onde ela passou a noite no batalhão. Depois, chegou a voltar na quinta-feira (12) para a casa da família que a deixou, mas já na sexta foi acolhida por uma conhecida.



A representação liminar foi solicitada na quarta-feira (19) pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Segundo o MPSC, a família substituta que está abrigando a senhora só pode ficar com ela até esta sexta (20).

A liminar deferida pela Vara Cível da Comarca diz que o sobrinho deve assumir os custos e o município de Tijucas deve arcar com valores parciais ou totais, caso o parente não tenha condições de pagar.

Também deve ser feito um estudo social na residência do sobrinho da idosa para avaliação da medida protetiva.

Abandono

Nas imagens de câmera de segurança do asilo particular, a idosa aparece descendo do carro com as malas. Na madrugada de quinta, ela teve que passar a noite no quartel da Polícia Militar, depois que o dono do asilo disse não ter como recebê-la.

A idosa morava há três anos com um sobrinho e a mulher dele. A família, de Tijucas, foi localizada pela Assistência Social de Brusque e voltou para buscar a senhora na quinta-feira.

A idosa não quis gravar entrevista e preferiu não comentar as acusações feitas pelos parentes, que dizem não ter condições financeiras e emocionais para ficar com ela. A senhora veio de Balneário Camboriú, onde morava com uma irmã, para ajudar a cuidar dos filhos do casal.

A Polícia Civil de Brusque abriu inquérito na última sexta (13) e pretende terminar a investigação de abandono de incapaz até a próxima semana. A vítima e testemunhas já foram ouvidas.

O sobrinho e a esposa dele devem ser chamados para depor nos próximos dias. Caso comprovado, os parentes poderão ser indiciados por abandono, crime previsto pelo estatuto do idoso com pena de 6 meses a 3 anos de detenção e multa.

G1

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.