Logo após indiciar PM’s, delegado será afastado da DIC de Balneário.

Logo após indiciar dois policiais militares na última sexta-feira (03), o Delegado e coordenador da Divisão de Investigação Criminal DIC de Balneário Camboriú, Dr. Osnei Valdir de Oliveira, será afastado do cargo de coordenador da DIC e será transferido para o Plantão da Polícia Civil em Itajaí. Ordem teria partido da Secretaria de Segurança do Estado.

A notícia pegou todos de surpresa nesta segunda, dia 06, e as informações ainda não foram confirmadas pela DIC de Balneário Camboriú.
Mas fontes diretas informaram a nossa reportagem, que o Delegado já teria sido comunicado da transferência e já estaria cuidando das questões burocráticas de sua ida para Itajaí.

O que mais chama atenção, é que o anúncio de sua transferência veio logo após a divulgação do inquérito na qual o Delegado Osnei indiciou dois policiais militares no caso do GM preso dentro do supermercado Angeloni portando, irregularmente, sua arma de fogo, em agosto deste ano.

As acusações são de que PM’s em serviço teriam feito a ligação denunciando o fato, declarando um outro nome, o que configura crime de falsa identidade. A denúncia se agrava justamente pelo fato do crime ter partido de PMs em serviço. Os mesmos PMs que participaram da prisão do GM.
O caso também foi enviado para o Ministério Público para apurar um possível caso de improbidade administrativa.
Os dois indiciados pela DIC, no caso da prisão do GM, também estão entre os presos no mês de maio, por crime de tortura.

Delegados da Polícia Civil de todo o estado estão se mobilizando contra a decisão da Secretaria de Segurança do Estado e se unindo a favor do Delegado Osnei. A mobilização leva em consideração o fato de que o Delegado apenas cumpriu com sua função investigativa, apurando crimes realizados, como manda seu ofício.

A investigação

Na ocasião, foi divulgado nos grupos de WhatsApp, o áudio da chamada do denunciante ao 190. A DIC, reconheceu a voz do denunciante que se identificou como “Ramiro”, como sendo de um PM que já havia sido investigado em um caso de tortura. Além da voz do denunciante, também era possível ouvir o som de um rádio comunicador, típico dos usados pela PM. Ai então correu a investigação que juntou registros telefônicos e imagens de câmera de segurança, que comprovou os indícios, e mostram uma viatura do PTT estacionando ao lado de um telefone Público que teria sido usado para a chamada ao 190.

De acordo com o Jornal Diarinho, o Comando Geral da PMSC, iria emitir uma nota nesta segunda-feira, 06, para comentar o caso. O que não ocorreu.

Caso antigo

A prisão do GM, aqueceu ainda mais a “richa” que pairava entra Polícia Civil e Militar.
Em maio deste ano, 6 policiais militares, investigados pela DIC, foram presos por crime de tortura. Na busca foram encontrados uma grande quantidade de munições, inclusive munições de fuzil calibre 5,56 e anabolizantes na residência de um dos indiciados.
Na ação, a DIC pediu apoio a Guarda Municipal Armada de Balneário Camboriú, o que piorou o clima entre as forças de segurança.

História

Osnei comandou a DIC BC entre 2012 a outubro de 2015, quando foi atuar no GAECO de Joinville. Em Maio de 2016, voltou ao comando da DIC BC onde realizou importante serviço frente às investigações policiais e apuração de centenas de crimes, em especial contra quadrilhas e facções criminosas, além da elucidação de diversos homicídios praticados em nossa região.
Em setembro de 2017, Osnei coordenou toda a Operação Hidra de Lerna. As buscas ocorreram nas cidades de Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, Navegantes, Penha, Balneário Piçarras e Joinville. Na ocasião, foram cumpridos 72 mandados de prisão temporária e 56 de busca e apreensão.

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com