Mães e bebês esperam 4 horas por atendimento no CIS de Itajaí

O centro Integrado de Saúde (CIS) de Itajaí foi alvo de reclamação de mamães que tiveram de esperar entre uma hora e meia até quatro horas por atendimento na manhã de ontem. De acordo com a leitora Dyane Correia, pelo menos 20 mamães podem atestar o que rolou na unidade de saúde, na rua Adolfo Konder, 250.

“Foi revoltante o que aconteceu. Crianças, bebezinhos com febre ter que ficar esperando depois da triagem mais uma hora e meia”, detalha.“Um caso me chamou atenção, pois eu além de estar preocupada com minha filha, com o ouvido inflamado, fiquei chocada com uma bebezinha de um ano e oito meses, que já estava cinco dias com dor na barriga e que chegava a se retorcer de dor e pedir ajuda de sua mamãe”, acrescenta.



Segundo Dyane, depois de quase duas horas de espera, as mães tiveram que bater na porta dos médicos para eles atenderem. As mães não sabem se havia poucos profissionais ou algum problema interno na unidade. “Aí depois de bater na porta, veio então a médica com cara feia. Falamos para passar esse bebê na frente, e ela olhou para nós e falou que não podia, que a mãe da criança tinha que passar na triagem novamente para trocar a pulseirinha do bebê”.

Havia outras crianças com febre no local, e um bebê de seis meses com dor. “Reclamaram também que no setor de atendimento adulto foram de quatro a cinco horas esperando”, diz. Dyane assegura que quando entrou para ser atendida, só tinha três crianças, e a situação foi se agravando.

Muita demanda

A secretaria de Saúde de Itajaí destacou ao DIARINHO que que desde o final de dezembro tá apinhada de pacientes nas unidades de Pronto Atendimento (UPAs), inclusive pessoas vindas de municípios da região – aumento de cerca de 40%. Somente neste sábado e domingo, 1139 usuários foram atendidos na UPA 24h do CIS, sendo 413 atendimentos pediátricos.

Do dia 1º de janeiro até o momento já rolaram 3743 atendimentos no local.
No domingo (dia 6), quando a mãe que registrou a reclamação esteve na unidade, havia dois pediatras plantonistas em cada período. Apesar da grande demanda, o tempo médio de espera rolou entre 15 minutos a 1h15. No sábado e domingo, a maioria dos registros feitos na pediatria foi de pacientes classificados como verde, cujo tempo máximo de espera é de duas horas.

As emergências são priorizadas e, muitas vezes, um ou mais médicos precisam se deslocar pra esses atendimentos, o que pode atrasar a vez de pacientes com quadro clínico menos urgente.

 

Por Diarinho

Comente Abaixo