Mais de mil pessoas fazem fila por vaga de trabalho em Itajaí

O processo seletivo que vai preencher vagas na rede Milium gerou filas e muita confusão no início da tarde de ontem, no centro de Itajaí.

A empresa, que anuncia a abertura de uma filial no bairro São Vicente, se preparou pra distribuir 200 senhas pra um processo que vai contratar 16 funcionários. Quase mil pessoas apareceram e o povão ficou cabreiro porque as senhas foram distribuídas antes do horário anunciado.



O comunicado dizia que as senhas seriam distribuídas a partir das 14h. De madrugada, contudo, já tinha gente na fila. Segundo um funcionário, que pediu para não ter o nome divulgado, por volta das 10h30, 120 pessoas já aguardavam pela entrevista.

Como a muvuca em frente da loja aumentava com o passar das horas, ele contou que as primeiras 60 senhas foram entregues antes das nove da manhã.
As demais também saíram antes das 14h e foi isso que causou revolta em quem chegou no horário marcado.“Marcaram à tarde, mas entregaram de manhã. Cadê o respeito?”, se queixa Roseli Maria Gomes, 46, moradora do São João. “Não há necessidade de fazerem isso com as pessoas, reclama.

A queixa é a mesma de Robson Hernandes, 30 anos. Robson chegou ao meio-dia, vindo de bicicleta do bairro São Vicente. Já Larissa de Cássia Santos, 20, veio a pé do São Vicente. Deixou o filho de oito meses com a vizinha. Ela chegou na hora do almoço. Era 14h27 quando funcionários da empresa avisaram que as 210 senhas disponíveis já tinham sido entregues pela manhã. Isso revoltou Larrisa.

Desemprego
Pra Paulo Roberto Ladwig, presidente do sindicato dos Empregados no Comércio de Itajaí, o que rolou ontem na Milium é um reflexo da diminuição de postos de trabalho em outros setores da economia.
Sem emprego, a galera busca no comércio uma forma de retornar ao mercado de trabalho. “É uma demanda reprimida de outros setores, como o metal mecânico e o da alimentação, pois fecharam muitos postos”, afirma o sindicalista.

Ele comenta que o cenário hoje em Itajaí é similar ao de 2009. “O comerciante abria 10 vagas e vinham 1000 pessoas se candidatar”, compara.
A situação do comércio, segundo o sindicalista, é de estabilidade. A expectativa é de um aquecimento próximo ao fim do ano. “Há várias empresas com pretensões de abrir as portas até dezembro”, avisa Paulinho.
A Milium não divulgou a data de abertura da nova loja

Muita procura

De acordo com dados do ministério do Trabalho, Itajaí tem ligeira alta no número de empregos formais este ano. No entanto, fechou com saldo negativo em junho e julho.
Pro secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda (SEDEER), Giovani Testoni, pesaram fatores como a greve dos caminhoneiros, a copa do Mundo e a corrida presidencial. “Há um crescimento econômico muito tímido no país, quase imperceptível a nível local”, avalia.

Giovani também ressalta a migração. “Há uma demanda muito grande de outros estados. Hoje, 70% dos que frequentam o balcão de emprego são de fora ou estão em Itajaí há poucos dias, poucas semanas”, diz.
Pra exemplificar, ele cita o processo de contratação pro supermercado Bistek da Fazenda. Pra 200 vagas anunciadas, a secretaria recebeu mais de três mil candidatos.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com