Mês do cachorro louco – Ao meu ver – Gian Del Sent

O mês começou fervilhando no estado inteiro por causa das eleições de 2018. A sensação de dormir com uma formação de chapa e acordar com outra, foi algo impressionante.
Uma eleição tão atípica como foi 2016. Cheio de surpresas e um vai e vem de decisões e coligações que deixou todo mundo louco. No fim das contas, todo mundo garantiu o seu pirão, onde a farinha foi disputada grão a grão. Mas as coisas ainda podem mudar.

Prazo final 



O último dia para registrar as candidaturas no TSE é dia 15 de agosto. Parece que muita coisa pode acontecer até lá. Militantes do PSDB estão revoltados com a aliança com a chapa de Mariani. O mesmo acontece com os militantes do PSDB que, embora tava fraquinho no estado e coligar com a chapa do governo ajudaria a levantar a moral do partido, ainda estão reclamando. E tem colunista político alertando: “2002 pode se repetir”.

Dejavú

Isso me fez lembrar a composição que aconteceu em Balneário Camboriú em 2016. Fabio Flor dormiu chamando Pavan de bandido e acordou agarrado chamando de meu amigo. Articulado por Amin na assembleia, a coligação PSDB/PP nas eleições municipais, rachou ambos os partidos no quesito opinião. A debandada foi grande e o resultado a gente já sabe.

Rachando

Outra situação que ocorrido no âmbito municipal é a dificuldade em aceitar que Carlos Humberto é o candidato do governo a deputado estadual. Não sei se por falta de esclarecimento ou até mesmo de comando, a galera do PSB torce o nariz com a situação e não estão nem ai para a posição do chefe. Ou falta respeito, ou falta comando. Das duas uma.

Fogo amigo

Não é de hoje que isso acontece. A rixa interna acontece desde as eleições de 2016 onde a chapa PSB/PR foi vitoriosa nas eleições. O PSB, em sua grande maioria, acha que o PR foi um mero coadjuvante na historia e “embarcou” numa eleição ganha. Pensam que eles foram responsáveis pelo resultado e que o PR é apenas um chupim. E não tem foto sorrindo que desminta isso.

Sabe de nada

Pior do que falar e fazer besteira, é fazer isso sem saber o que esta fazendo ou falando. No ápice de suas ignorâncias pessoais e falta de conhecimento do que acontece “no andar de cima”, os militantes do PSB vão contra um projeto que iniciou na metade de 2016. E tinha como um dos acordos, o apoio a candidatura de CH como deputado estadual. Mas os “donos da razão” não sabem disso. Preferem se afogar na própria ignorância.

Pecam

Não pecam apenas em ir contra o acordo dos patrões. Pecam também em continuar com esse tipo de atitude mesmo depois de 20 meses de governo. Governo este que anda a passos lentos, tipo tartaruga, demorando em atitudes e se desgastando a toa. Tem vivido de apagar fogo e com departamentos que ao invés de ajudar, pioram ainda mais a situação. Continuam arrotando a vitória nas urnas e esquecem que precisam trabalhar. Esse mesmo governo lento, pode complicar a vida de CH.

Migram

Os correspondentes de corredor do Visse afirmam inclusive que boa parte, para não dizer maioria, dos comissionados do governo preferem apoiar a Paulinha do PDT de Bombinhas do que o vice-prefeito. Nem mesmo Ary Souza tem a preferência deles. Alias, se for falar em preferência, nem mesmo o Lucas Gotardo teve essa honra. Em reunião para lançamento de sua candidatura a federal, tinha mais gente do PR Jovem do que do próprio PSB. Deve ser pelo conhecido “fogo amigo” que existe da juventude do PSB com Gotardo que, pouco participa aqui, mas faz parte da juventude pessebista estadual.

Complica 

A eleição para Carlos Humberto pode complicar, não apenas pela vagarosidade das Novas Ideias, mas também, por parte da equipe que o cerca. Acho que é mal desse governo os lideres serem cercados por gente que pinta um cenário que não existe. Quem tem trabalho direitinho e para valer, é a turma do PR Jovem que, inclusive, tiro meu chapéu. Galera engajada, parceira e sangue no olho. Porém os velhotes estão deixando um pouco a desejar. Vereadores então, nem se fala. Tão preocupados com a farinha do pirão.

Estratégia

Não sei quem está coordenando a campanha e nem mesmo quem cuida, de fato, das estratégias de comunicação e divulgação do candidato. Mas ta faltando.
A estratégia de guerrilha está fazendo da campanha de CH um amontoado de ataques e contra-ataques. Muita acusação, muita cutucada, muito ataque e nada de propostas. O povo não ta interessado na opinião do candidato sobre outro candidato, eles querem saber o que vai fazer por la se eleito for.

Se repete 

E essa estratégia de descredibilizar o outro para aparecer não é exclusividade da equipe de campanha de CH. O mesmo acontece com Ary Souza. As opiniões pessoais dos membros da equipe e suas maneiras individuais de articular estão contaminando a maneira que a candidatura está indo para a rua. O PR é um partido centro-direita, não pode agir como esquerda. A campanha tem que acompanhar o perfil do candidato mas da sigla também. O PPS de Ary, embora seja esquerda, tem um perfil mais pacífico. Não milita como esquerda, não se porta como tal. Assim como o próprio Ary. Então esse perfil de “militância picha muro” da campanha não está caindo bem. E pode acabar ruindo o sonho de ir pra “leléia”.

Bom mas mal divulgado

As festas que tem acontecido na Praça do Pescador na Barra tem atraído milhares de pessoas para prestigiar os eventos no local onde tudo começou. Uma matéria no site do Página3 reclama: “É bom mas ta mal divulgado”. A reclamação do jornal não vem sozinha e esta sendo endossada pelos leitores, nos comentários do facebook, e confirmada até mesmo pelo diretor de turismo, Nelson Oliveira.
Eu mesmo reclamei esses dias em um grupo de whatsapp sobre isso, a peça que divulgava a programação geral não abria em todos os celulares, a imagem era muito grande e MUITO confusa de entender.
Eu ajudei aqui pelo Visse, colocando a imagem no corpo de uma matéria.

Para ver a matéria do Página3, CLIQUE AQUI
Para ver a programação, disponibilizada pelo Visse?, CLIQUE AQUI

 

 

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.