Moradores apontam deficiências no abastecimento de água e esgotamento sanitário em audiência pública

Cerca de 150 pessoas se reuniram no auditório da Prefeitura de Camboriú, na noite de quarta-feira, dia 16, para a audiência pública sobre o abastecimento de água e esgotamento sanitário no município. A reunião proporcionou a participação da comunidade, que apresentou demandas e fez questionamentos acerca dos serviços. Participaram da audiência representantes da concessionária Águas de Camboriú, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Câmara de Vereadores, Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Procon.

O procurador geral do município, Hélio Cardoso Derenne Filho, acredita que a audiência pública é um marco para a cidade e, por meio dos debates, será possível qualificar os serviços públicos prestados à população. “As únicas saídas para melhorar essa oferta são o diálogo, apoio e participação ativa da comunidade e das autoridades locais. Essa preocupação é atual e de extrema relevância”, compartilha.
Melhorias e investimentos realizados pela Águas de Camboriú foram pontuados durante a audiência. “Este é o momento oportuno para ouvirmos as queixas e questionamentos, mas também para esclarecimentos. O abastecimento de água é um problema crônico, histórico, fruto de anos de descaso por gestões anteriores”, analisa o presidente da concessionária, Ricardo Miranda. Desde que assumiu os serviços, a empresa investiu R$ 25 milhões na ampliação da rede de distribuição, realizou 3 mil novas ligações para acesso a água tratada e instalou mais de 11 km de tubulação.
Segundo o coordenador do Procon do município, Tanuri Fernandes de Souza, a concessionária Águas de Camboriú lidera a lista de reclamações há três meses. “Há um levantamento mensal das empresas com maior índice de queixas. Em uma semana, por exemplo, foram 25 reclamações sobre os serviços”, declara. “Agora, o Procon tem poder de multa e passará a fiscalizar pequenos comércios e grandes empresas”, completa.
Questionamentos e reclamações
Antes do início da reunião, os moradores puderam escrever questionamentos ou queixas sobre os serviços. Além disso, o espaço para fala foi aberto no decorrer da audiência.
O morador Pedro Bolda, do bairro Areias, reclamou da qualidade da água que chega na sua residência. “Não tenho estudos, mas muito conhecimento. Se a água não serve para preparar os alimentos, também não pode ser usada para lavar louça, tomar banho, entre outros”, comentou. Em resposta, o presidente da Águas de Camboriú explicou que é realizado um controle de qualidade em laboratório, mas que um técnico verificará a situação in loco.
Entre outras demandas apresentadas estão a troca de hidrômetros e o aumento consequente nas cobranças; corte na distribuição de água, mesmo sem débito vencido; abastecimento de água para áreas rurais; e tarifa social para moradores cuja renda familiar é baixa.
Juliana Mostardeiro, do bairro Lídia Duarte, compartilhou que o condomínio onde mora fica sem água durante o verão há dois anos. Com cerca de 300 famílias no residencial, ela e outros moradores cogitaram a instalação de um poço artesiano para suprir a necessidade durante a estação. A secretária de Saneamento Básico do município, Liara Rotta Padilha Schetinger, explicou que cabe ao Estado permitir a instalação.
Sobre o abastecimento de água, Liara ainda relembrou que o prefeito Elcio Rogério Kuhnen assinou um decreto de utilidade pública que disponibiliza espaço físico na área rural para a construção de um reservatório de água. “Atualmente, o Rio Camboriú abastece o município e Balneário Camboriú. O Parque Inundável, com aproximadamente 500 hectares de extensão, irá possibilitar uma reserva maior desse recurso natural. Estamos pensando no futuro, sabendo que os problemas serão potencializados”, pontua a secretária.
Cerca de 70 perguntas foram realizadas durante a audiência pública. Serão realizados encaminhamentos às autoridades responsáveis. Moradores que tiverem queixas sobre os serviços podem procurar a concessionária Águas de Camboriú ou entrar em contato pelos telefones 0800 595 4444, (47) 9 9234-1414 (WhatsApp) e (47) 4063-9268 (ligações de celulares).
O contato da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) é o 0800 643 2600.
Já o do Procon do município, que fica anexo à Casa da Cidadania, é o (47) 3365-0021.
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com