Moradores discutem decreto que suspense construções de loteamentos em Camboriú

Cerca de 60 pessoas se reuniram na noite de segunda-feira, dia 3, para a audiência pública sobre o decreto n° 3.369/2018, que suspende as aprovações de projetos para construção de loteamentos. O encontro proporcionou discussões acerca do crescimento urbano do município, assim como os impactos e problemas já existentes em Camboriú. Participaram da audiência vereadores, servidores municipais, empresários e representantes de entidades.

“Muitos fatores nos levaram a criar esse decreto, em julho deste ano. A Prefeitura de Camboriú não quer frear o crescimento urbano, mas, sim, garantir que isso não trará impactos para o meio ambiente e para a comunidade”, explica o prefeito Elcio Rogério Kuhnen, que mediou as discussões. “Nós devemos assumir, sempre, um compromisso com os moradores. A Defesa Civil cresceu no âmbito de urgência e emergência, só que as cidades que assumirem um posicionamento preventivo não sofrerão tanto com possíveis enxurradas”.
Assuntos como construções verticais, invasões territoriais, crescimento populacional e moradores que utilizam Camboriú como “cidade dormitório” foram pontuados durante a audiência. “Profissionais técnicos devem nos trazer propostas. É a hora de sentarmos e termos um posicionamento, ver o que podemos fazer para mitigar os danos à comunidade”, declara a vereadora e presidente da Câmara de Vereadores, Márcia Regina Oliveira Freitag.
Alternativa para redução de danos
Um dos pontos discutidos durante a audiência foi o Parque Inundável Multiuso, que servirá para reserva de água, contenção de cheias e espaço de lazer. O projeto está em fase de finalização dos estudos fundiários e é desenvolvido de forma conjunta com a Prefeitura de Balneário Camboriú. “O parque é um projeto viável, mas também precisaremos discuti-lo com a comunidade”, compartilha a presidente da Fundação do Meio Ambiente (Fucam), Liara Rotta Padilha Schetinger.
Para Liara, há a necessidade de se pensar em alternativas sustentáveis para contornar casos de enchentes. “Ninguém quer morar numa área de risco, que pode sofrer com enchentes. Camboriú tem um potencial muito grande para empreendimentos. Além disso, o município conta com vazios urbanos, espaços que podemos potencializar e desenvolver”.
Semana de Consciência de Proteção
A audiência pública encerrou a programação da Semana de Consciência de Proteção, que relembra as enchentes de 2008, promovida pelo Governo do Estado em parceria com a Secretaria de Proteção e Defesa Civil. O Município ministrou dois simulados de abandono de área na escola municipal Prof° Artur Sichmann, em parceria com o Corpo de Bombeiros, e um seminário sobre terraplanagem para a apresentação da minuta de lei que regulamentará a atividade em Camboriú. “As atividades foram pensadas para que os moradores se sensibilizassem sobre a importância da proteção. Os resultados dos eventos são positivos”, aponta o secretário de Proteção e Defesa Civil, Flávio Geraldo.
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.