Não perca amanhã no Fantástico – Por Isaque de Borba

NÃO PERCAM AMANHÃ NO FANTÁSTICO. Eles querem saber: por que uma das cidades mais pequenas do Brasil tem os prédios mais altos. Desde ontem estamos ciceroneando a equipe de produção, mostrando os mais altos e mais belos edifícios da cidade.

BC amanhã vai ganhar uma mídia espontânea mostrando nossa cidade. Imagens belíssimas do droner da NSCTV sobre os 2 prédios mais altos, o Yachthouse que vai ter 81 andares; o atual mais alto, o Infinity Coast de 66 andares. A repórter Juliana Girardi preferiu focar no Épic Tower que vai ter 56 e no Ed. Milêniun.



Mostramos um pouco da história, o mais antigo prédio da cidade, o Edifício Eliane, a influência do Presidente João Goulart no desenvolvimento nos primórdios da cidade.
Entre muitos fenômeno que contribuíram pela briga das alturas, diria que a resposta está mesmo na pergunta: a cidade pequena.
Poucos quilômetros quadrados, alta valorização do preço da terra, verticalizar é uma solução.

O legislador em 2003, através do plano diretor fez contribuir ao obrigar o construtor deixar vão entre os prédios. Os prédios antigos, de arquitetura pobre, eram caixotes colados um no outro. Veja o conjunto San Remo, Panorama, Maria Amélia, Lafayete bem no centro. Um paredão só. Grosso modo a lei contempla que a base cubra boa parte do terreno, mas o corpo do prédio tem que afinar para dar espaço e corrente de ar entre os prédios. Diminuindo o espaço a solução é subir. Os salões de festas, restaurantes, play graund, tudo em baixo junto das garagens. Os recuos obrigatórios ajudam também.

Sendo uma cidade turística não há a necessidade de prédios maciços para comportar muita gente. Grande parte dos apartamentos vivem vazios durante o ano, oportunizando focar mais na estética da edificação que na quantidade de apartamentos por andar. Um coisa é o que a gente produz, dei material a dar com pau, mas outra coisa é que vai ser editado, certamente composto com outras cidades.

Sempre vem à tona o enfoque da sombra na praia. A grande maioria das pessoas aprova e poucos se importam com a sombra.
Isso é um folclore que seu Domingos Fonseca, já dizia na década de 80.
“As madames vão pra praia de manhã, a tarde é pra empregadas – elas não precisam ficar bobando a tarde inteira na torreira do sóli – pra quê? Pra pegar custipação e incomodá os patrão?.”Hahaha

Isaque de Borba Corrêa pro Fantástico. Eheheh.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com