Polícia Civil prende suspeitos de ter matado PM em Camboriú

Uma operação da Divisão de Investigações Criminais (DIC) da Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira 10 suspeitos de participação no assassinato do sargento Edson Abílio Alves, da reserva remunerada da Polícia Militar.

O crime ocorreu em Camboriú, durante a onda de atentados deflagrada no ano passado que matou quatro agentes de segurança pública no Estado. O sargento estava em frente a uma padaria, no Bairro Taboleiro, quando foi baleado.



Foram expedidos ao todo, nesse caso, 12 mandados de prisão temporária, inclusive de pessoas já detidas no sistema prisional. Dois dos suspeitos estão foragidos _ um adulto, que estaria entre os mandantes do crime, e um adolescente. As prisões têm prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30. A Polícia Civil não divulgou os nomes dos presos.

A operação também cumpriu cinco mandados de busca e apreensão, em que foram recolhidos telefones celulares. Para o delegado Vicente Soares, responsável pelo caso, não há dúvidas de que a morte do sargento foi ordenada pela facção criminosa que coordenava os ataques.

-Foi encomendada a morte de agentes públicos, e o núcleo (da facção) em Balneário Camboriú indicou a oportunidade de matar o sargento.

Em 2013, durante outra onda de ataques, bandidos já haviam atirado contra a casa do policial militar, em Camboriú.

A operação também investiga outro crime ligado à facção _ a morte de Felipe Carvalho, que teve as mãos e a cabeça arrancadas e jogadas em um saco plástico junto ao muro do cemitério do Rio do Meio, também em Camboriú, em 27 de julho do ano passado. O corpo foi localizado em região de mata fechada, parcialmente carbonizado.

Segundo a polícia, os crimes não têm relação mas as mesmas pessoas estão envolvidas nos dois casos. A suspeita, de acordo com o delegado, é de que o crime esteja relacionado a dívidas com a facção.

Das 12 pessoas envolvidas na investigação do assassinato do policial militar, 11 também tiveram mandado de prisão temporária expedido pela morte de Felipe Carvalho.

Fonte: NSC Total

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.