Praias de Balneário Camboriú registram dois pontos impróprios para banho.

Os pontos já são velhos conhecidos. E as causas são antigas. Na praia central, apenas um ponto indicou alteração. O outro é na Praia de Taquaras, região da lagoa.

De acordo com o último relatório da FATMA, dois dos quatorze pontos analisados, indicam alta concentração de coliformes fecais. No geral, o relatório indicou índices satisfatórios.

Praia Central

O Pontal Norte, mais uma vez, volta a aparecer devido a poluição do Canal do Marambaia. Canal este que vem passando por uma grande obra de desassoreamento, limpeza e despoluição por parte da EMASA.
Com a construção da galeria da Avenida Atlântica, as chamadas “línguas pretas” deixaram de existir na areia, o que acabou com os pontos impróprios na região mais central da praia.
O problema, é que todo conteúdo dessas línguas pretas, foram canalizadas para o ponto mais crítico da nossa cidade, o Canal do Marambaia, o que agravou mais ainda a situação.
A língua preta, nada mais é que, esgoto clandestino ligado a rede pluvial que desaguava na praia. A galeria foi construída, porém nenhuma ação foi desenvolvida para identificar essas ligações de esgoto. Canalizou e pronto. Ou seja, o problema não foi resolvido, apenas transferido de lugar.

Taquaras

O problema de Taquaras se repete no canto da lagoa. Velho conhecido por aparecer nos relatórios da FATMA.
A praia de Taquaras, assim como as demais praias agrestes, ainda não tem captação de esgoto. A obra de implantação da tubulação de água e captação de efluentes, iniciadas em dezembro de 2013, pararam, reiniciaram em 2015, parou novamente, ficaram paralisadas por dois anos e foram retomadas em outubro de 2017.

Embora Taquaras tenha uma ETE desde 2008, a mesma nunca funcionou direito e já foi objeto de um TAC com o Ministério Público em 2013, que obrigou o fechamento da ETE assim que a captação de esgoto da região fosse finalizada. O que, até então, nunca aconteceu.
O funcionamento irregular da ETE dá-se pela pela baixa demanda. A ETE é muito grande para tratar o que recebe, o esgoto acaba não sendo tratado como deveria e despejado já podre, na lagoinha de Taquaras.
Para o correto funcionamento deste tipo de equipamento, ele tem que trabalhar com pelo menos 90% da sua capacidade de armazenamento, e assim, poder completar o ciclo corretamente.

Ações da EMASA

TAQUARAS: Em breve, todos os efluentes das praias de Laranjeiras e Taquaras, em Balneário Camboriú, serão tratados. A obra de complementação da rede coletora de esgoto ligará o esgoto até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Bairro Nova Esperança. Os trabalhos iniciaram com a implantação da tubulação no Morro de Laranjeiras, que ligará a rede da praia à elevatória, que será construída no morro.

“Essa elevatória fará a transposição dos efluentes da praia de Laranjeiras. Já a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Taquaras será desativada e no local será feita uma elevatória que irá transpor os efluentes até o Bairro da Barra, em seguida para a elevatória do Bairro São Judas e de lá para a ETE do Nova Esperança”, explicou o gerente de expansão da EMASA, Vinícius de Castro Oliveira.

Também faz parte deste contrato o reforço da rede de distribuição de água no Bairro Nova Esperança, que vai melhorar a pressão nessa região da cidade e reposicionar a rede em relação ao Centro de Eventos. Na última quinta-feira (05), o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, entregou a Ordem de Serviço para início imediato dos trabalhos, durante encontro com moradores e comerciantes da região.

PONTAL NORTE: O Canal do Marambaia, que deságua no Pontal Norte de Balneário Camboriú, está sendo revitalizado. A obra, que vai contribuir com a melhoria da balneabilidade, começou na segunda quinzena de Novembro, com o desassoreamento do Canal a partir da Rua 1901 até a foz do Rio. O serviço será feito com a utilização de máquinas escavadeira hidráulica e também outros equipamentos que retirarão os resíduos sólidos lançados no canal, como restos de materiais de construção, areia e lodo que estão contaminados com esgoto sanitário.

Depois de concluído o desassoreamento do canal, será feita também a instalação de unidades de aeração em três pontos do Rio Marambaia. O sistema de aeração, aumenta a oxigenação da água através de pequenas bolhas de ar. De acordo com o consultor da EMASA, Cesar Arenhart, esse serviço será feito no final de dezembro até o início de janeiro. “Nessa etapa colocaremos equipamentos que vão introduzir oxigênio na massa de água para melhorar o desempenho biológico de decomposição de matéria orgânica ainda presente na água do rio”, explicou.

Conforme Arenhart, no ano que vem será feito o desassoreamento completo com o uso de draga. “Para está atividade precisamos licenciamento ambiental mais detalhado, nossa ideia é começarmos está ação no ano que vem. Já os serviços que vamos iniciar na quinta-feira estamos liberados do licenciamento, embora tenhamos feito estudos ambientais e apresentamos isso a Fundação do Meio Ambiente (FATMA)”.

 

 

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com