Proposta de implantação de curso superior de Engenharia Agronômica é aprovada em Audiência

Na terça-feira, dia 13, foi realizada uma Audiência Pública no Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú para discutir a implantação do curso superior de Engenharia Agronômica na unidade. Promovida pela instituição, a audiência contou com a presença de representantes do Município e do Estado, além da comunidade acadêmica e moradores. A proposta, elaborada pela comissão interna do Instituto e aprovada pelos presentes, é de um curso de turno integral, com duração de dez semestres e 40 vagas anuais, com início previsto para 2020.

O prefeito Elcio Rogério Kuhnen esteve presente no evento, a convite da instituição, representando a comunidade camboriuense. Ele destacou a importância do curso para o município e munícipes. “A implantação do curso superior de Engenharia Agronômica no IFC certamente irá impulsionar ainda mais o desenvolvimento da nossa cidade. Além disso, os moradores não precisarão se deslocar para outros municípios da região, ou até outros estados, para estudar na área. Esse é, sem sombra de dúvidas, um marco para Camboriú”, declarou.



De acordo com a presidente da comissão responsável pela criação do curso, professora Cláudia Damo Bértoli, o curso pretende promover a interdisciplinaridade, mesclando disciplinas de núcleo básico com as de núcleo profissional; possibilitar a Educação Ambiental e a Étnico-racial; e oferecer uma boa dinâmica teórico-prática, com uma preparação abrangente em campo. “Além de professores com excelente capacitação, o nosso campus dispõe de uma estrutura preparada para receber o curso”, aponta Cláudia.

“Atualmente existe no nosso país um desequilíbrio significativo entre a demanda e a oferta de alimentos, devido ao elevado crescimento populacional. Santa Catarina tem ótimas condições e um forte potencial produtor, mas carece de pesquisas e de recursos humanos, principalmente na agricultura. Esses fatores justificam a proposta de criação do curso e ressaltam sua importância regional e nacional”, destaca o professor Luís Ivan Martinhão Souto, membro da comissão do Instituto. O ingresso no curso será por meio de processo seletivo (ENEM/SISU), ou de possíveis processos seletivos simplificados, sendo necessário ter a conclusão do Ensino Médio.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.