Ruth Cardoso realizou duas captações de órgãos nesta semana

O Hospital Municipal Ruth Cardoso, de Balneário Camboriú é um dos hospitais catarinenses com a menor taxa de negativa familiar para doação de órgãos. Nesta semana, o hospital realizou duas captações de órgãos. A primeira ocorreu no domingo (18), quando foram doados rins e globo ocular. Nesta quarta-feira (21) foi feita mais uma captação de rins e fígado.

Neste ano, dos 20 protocolos abertos no Ruth Cardoso (paciente com potencial para doação de órgãos), em 12 foram realizadas a captação, ou seja, a família aceitou fazer a doação dos órgãos em 60% dos casos.



O HMRC e os hospitais que lidam com a doação de órgãos possuem profissionais que fazem parte da Comissão Hospitalar de Transplante (CHT). Esses profissionais são responsáveis pela busca ativa de possíveis doadores. O possível doador é aquele paciente que tem uma lesão neurológica grave sem possibilidade de tratamento e está respirando com a ajuda de aparelhos (em ventilação mecânica).

Um dos diferenciais do hospital é o acolhimento dado às famílias durante todo o tratamento do paciente. Durante toda a internação, a equipe acompanha as famílias, orientando e respondendo a todos os eventuais questionamentos que surgirem durante o processo, além de flexibilizarem os horários para visita. A doação de órgãos só é abordada após a equipe médica confirmar o diagnóstico final de morte encefálica (equipe essa que não tem relação nenhuma com a CHT).

Sobre a doação de órgãos:

Um doador pode doar coração, dois pulmões, dois rins, fígado, tecido ocular, pâncreas, válvulas cardíacas, pele e tecido ósseo. A maioria dos doadores tem entre 50 e 64 anos e, ao contrário do que se pensa, a idade avançada não é uma contraindicação à doação. Grande parte dos órgãos doados ficam em Santa Catarina, mas cerca de 25% são enviados para outros estados, como o Rio Grande do Sul e São Paulo.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.