Secretaria de Saúde de Itajaí reforça cuidados e orientações com o Aedes aegypti

A Secretaria de Saúde de Itajaí, por meio da Vigilância Epidemiológica e do Programa de Controle da Dengue, reforça as orientações e cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti no município. É importante que os moradores fiquem atentos a recipientes que podem acumular água, não joguem lixo ou entulhos em terrenos baldios, mantenham ralos e caixas d’água bem fechados e limpem frequentemente piscinas e calhas.

Em 2017, apenas um caso de dengue foi registrado em Itajaí, porém os cuidados com o mosquito continuam intensos. De acordo com o coordenador do Programa de Controle da Dengue, Lúcio Vieira, os agentes de endemias seguem orientando a população, monitorando armadilhas e fazendo bloqueios em casos suspeitos da doença. Em janeiro e fevereiro deste ano, foram feitas 48.392 visitas em residências, comércios, terrenos, armadilhas e pontos estratégicos da cidade.

“A população não pode descuidar das medidas de combate ao mosquito, pois ainda somos um município considerado infestado. Em todo Estado o número de focos do Aedes aegypti aumentou, reforçando a importância da prevenção”, pontua Vieira.

Neste ano, Itajaí registrou apenas um caso importado de febre chikungunya. A paciente de 64 anos contraiu a doença no Rio de Janeiro, quando foi visitar o filho. O Programa de Controle da Dengue já realizou todas as ações preventivas no entorno da residência. Em função disso, a orientação da Vigilância Epidemiológica é que os moradores usem repelente sempre que forem viajar para áreas com risco de transmissão de dengue, chikungunya ou zika vírus.

O que é dengue?
A dengue é uma doença infecciosa transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado. Os sintomas são febre alta repentina, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele. A doença pode evoluir para uma forma mais grave e ocasionar sangramento na pele, mucosas e órgãos internos, além de dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes, letargia, sonolência ou irritabilidade, hipotensão e tontura e até levar à morte.

O que é febre de chikungunya?
É uma infecção viral causada pelo vírus chikungunya, que pode se apresentar na forma aguda, com sintomas repentinos de febre alta, dor articular intensa, dor de cabeça e dor muscular, podendo ainda ocorrer erupções cutâneas. A doença também pode evoluir para as fases subaguda (com persistência de dor articular) e crônica (com persistência de dor articular por meses ou anos).

O que é febre do zika vírus?
É uma infecção viral causada pelo ZIKAV, transmitido também pela picada da fêmea do Aedes aegypti infectado, e seus sintomas são vermelhidão no corpo com coceira, olhos avermelhados sem coceira e sem secreção, febre, inchaço e dores nas articulações e de cabeça. Também há registros que, em gestantes, o vírus pode provocar a microcefalia nos bebês.

Caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para atendimento o mais breve possível.

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
Mantenha lixeiras tampadas;
Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
Mantenha ralos fechados e desentupidos;
Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
Retire a água acumulada em lajes;
Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde pelo telefone (47) 3249-5573.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com