Taxista é preso ao agredir motorista de Uber com facão

Um taxista foi preso na madrugada de domingo, em Balneário Camboriú, acusado de atacar um motorista da Uber a facadas. O homem, identificado como Joel da Silva Faria, tentou fugir após a agressão, mas foi detido por guardas municipais. A vítima, Bruno Cardoso Terra, teve um corte profundo no dedo e foi levado ao hospital. Ele corre o risco de perder os movimentos da mão.
O presidente da Associação dos Taxistas de Balneário Camboriú, Celito Massezzoli, garante que o taxista agiu em legítima defesa.“O motorista da Uber atacou ele antes, com um taco de beisebol”, afirma.
O caso aconteceu pouco antes das quatro da madruga de domingo. Ao DIARINHO, o motorista da Uber e presidente do Sindicato dos Motoristas Profissionais de Aplicativo, Richard Kellermann, contou que Bruno foi atacado depois de tentar defender um colega.

“Ele viu outro motorista da Uber ser agredido por vários taxistas em frente ao hotel Itália, na rua 1900. Tentou salvar a vida do colega”, narrou Richard.
Nesse momento, um dos taxistas, Joel da Silva Faria, teria retirado do próprio carro, a Spin, placa QIZ5179, um facão de aproximadamente 50 centímetros e partido pra cima de Bruno, que estaria desarmado.
Segundo o boletim de ocorrência da Guarda Municipal, Joel deu um único golpe. “O facão atingiu o dedo anelar”, conta Richard, que soube da própria vítima, já no hospital, o que havia acontecido.

Joel tentou fugir, mas foi encontrado próximo a um posto de combustíveis, na altura da rua 3000, já no comecinho da manhã de domingo. Ele foi ouvido na delegacia e liberado.
Bruno foi levado às pressas pro hospital Ruth Cardoso, pra tratar dos graves ferimentos no dedo. A vítima passou por uma cirurgia no fim da tarde de ontem e corria risco de perder os movimentos da mão.
Segundo Richard, Bruno mora em Joinville, mas volta e meia tá em Balneário Camboriú e região trampando como Uber

Associação diz que taxista é inocente
O presidente da Associação dos Taxistas de Balneário Camboriú, Celito Massezzoli, garante que tem muitas informações equivocadas nessa história. A começar pela suposta ação do taxista, que, segundo ele, foi apenas pra se defender de um ataque de Bruno.
“O Joel agiu em legítima defesa. O que estão dizendo, sobre ele ter atacado o motorista da Uber, é mentira”, alega Massezzoli, que desmente também a história de que havia outros taxistas envolvidos.

“O Bruno saiu do carro pra tentar se meter em uma briga de um Uber com um taxista. Os dois tavam rolando no chão, e ele pegou um taco de beisebol pra bater no Joel”, afirma o presidente da associação.
Segundo Massezzoli, Joel trbalha há muitos anos como taxista e e jamais se envolveu em brigas.
“Sempre peço a eles [os taxistas] que evitem qualquer tipo de confusão. Pedimos para a nossa classe não se envolver em possíveis diferenças, e eles têm respeitado”, conclui.

 

Fonte: Diarinho

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com