Técnicos irão arrumar bagunça de fios em postes de Balneário

Muito morador ou empresa instalada na avenida Atlântica, em Balneário Camboriú, deve ficar sem internet, TV a cabo ou mesmo telefone fixo a partir desta segunda-feira.

É que os técnicos da contribuição para Custeio de Serviço de Iluminação Pública (Cosip) começam hoje um pente-fino para organizar a zoeira das fiações nos postes da avenida beira mar.
De acordo com Anderson dos Santos, o trabalho será feito por uma força-tarefa composta ainda pela Celesc e por representantes de 16 empresas de telefone, de TV a cabo e de fornecimento de serviços de internet.



A previsão é que o trampo dure até sexta-feira e serão revisadas as fiações entre todos os postes dos quase oito quilômetros da avenida Atlântica.
“A avenida que mais acumula fio é a Brasil, mas optamos por começar pela Atlântica porque, além de ser o cartão de visitas da cidade, ela é um trecho com menos cabo, e a partir daí saberemos quais as ações para realizarmos sum trabalho mais prático e mais ágil”, explica o chefão da Cosip.

Organização dos cabos, identificação das empresas que usam o espaço dos postes e eliminação dos fios que estão sem uso estão entre as ações da força-tarefa. Mas não só isso. “Tem casos em que as empresas de telefonia passam o fio clandestinamente e vamos cortar”, avisa Anderson.
Ele acredita que 50 pessoas estariam envolvidas no serviço. Nos trechos que estarão sendo vistoriados, a avenida vai ficar em meia pista para garantir a segurança dos técnicos e motoristas.

Não há estimativa de quanto cabo sem uso ou colocado indevidamente nos postes serão arrancados a partir de hoje na avenida Atlântica. Mas o gestor da Cosip espera uma quantidade imensa. “Pra ter uma ideia, fizemos uma ação dessa no calçadão da avenida Central, que tem bem menos de 500 metros, e tiramos 10 mil metros de cabo em desuso, no final do ano passado”, exemplifica.

Ainda segundo Anderson, a força-tarefa foi definida depois de uma reunião em meados de maio, convocada pelo prefeito Fabrício Oliveira (PSB), incomodado com a bagunça nas fiações dos postes da cidade.

Das 16 empresas convocadas pela prefeitura para fazer o serviço de reorganização da fiação nos postes da cidade, apenas duas não assinaram o termo de convênio.
Entre elas, informou Anderson, está a multinacional OI, que está entre as maiores telefônicas do país.

 

Por: Diarinho

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.