Vereador preso em operação contra fraude em licitação perde mandato em Laguna

Após 11 meses da prisão do vereador Antônio Cesar da Silva Laureano (MDB), o parlamentar perdeu o mandato e ficou inelegível por oito anos. A decisão ocorreu na sessão da noite de segunda-feira (29), na Câmara de Vereadores de Laguna, no Sul catarinense.

Laureano, o filho dele e outras onze pessoas foram presas em novembro de 2017 na Operação Seival, que investigou corrupção, fraude em licitação e outros crimes contra a administração pública.



Os vereadores analisaram um relatório da comissão processante na segunda. A defesa de Laureano foi feita pelo advogado Luiz Carlos Rovaris e na sequência houve a votação. O relatório contra o parlamentar foi votado por unanimidade.

A 1ª suplente de Laureano, Nádia Tasso Lima (MDB), que ocupa o cargo desde a prisão dele, passou a ser a titular da cadeira no parlamento lagunense.

Na Operação Seival, a Polícia Civil diz que foi comprovado desvios de materiais, que deveriam ser utilizados na reforma de um colégio local, para uma obra particular de um “influente agente político da cidade”.

error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.