Vereadores devolvem projeto de mega resort na BR 101

Ainda não foi desta vez que a construtora Taroii terá a licença para construir o Marina Home Resort, um mega projeto com quatro torres e intervenção em parte da área de mangue das margens do rio Camboriú, em Balneário Camboriú.

Ontem, ao invés de analisarem o projeto e decidirem ou não pela aprovação, os vereadores decidiram devolvê-lo para o autor, o Executivo. Em abril, eles já haviam suspendido a votação para analisar melhor a proposta.



O projeto é de 2016. Ou seja, daépoca em que Edson Periquito (MDB) era prefeito. Na interpretação dos vereadores, como a construção do mega resort é um empreendimento “especial”, ou seja, não previsto no plano diretor, deve ser assinado pelo gestor do momento, ou seja, pelo prefeito Fabrício Oliveira (PSB). “Se o prefeito entender que deve voltar, deve vir com a assinatura dele, com a chancela dele”, disse o vereador Gelson Rodrigues (PSB), que ontem presidia interinamente a câmara.

A decisão foi elogiada até mesmo pela oposição. “Já falamos que existem graves denúncias desse projeto”, soltou Marcelo Achutti (PP).
O projeto foi aprovado pelo conselho da Cidade em 2014. Em 2014, passou por uma audiência pública, que, segundo as denúncias, não teria sido convocada corretamente. Em 2016, quando chegou à câmara, a procuradoria da Casa deu parecer contrário.

Em abril deste ano, o empresário Carlos Trossini, dono da Taroii, garantiu que o empreendimento não vai mais ocupar o mangue que ainda restou do rio Camboriú.
Pelo projeto, o empreendimento terá quatro gigantescas torres, sendo duas corporativas e duas residenciais. Além disso, terá uma marina com 350 vagas secas e outras 150 molhadas, shopping náutico, hotel, heliporto, lojas e parque ambiental público. A área fica entre o rio Camboriú e a margens da BR 101, no sentido norte sul.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.