A difícil Arte de Empreender

Dizer que a liberdade de ter o seu próprio negócio é uma dádiva e sinônimo de “vida boa” beira a utopia.
E se eu tivesse como dar um conselho a quem quer se aventurar nesta empreitada, eu diria: Prepare-se!
Por mais que o Brasil seja, de fato, um país empreendedor por natureza, as dificuldades ainda são grandes para quem deseja ter seu próprio negócio.
Por experiência própria, posso dizer que muitas vezes senti saudade de 8 horas por dia dos CLTs e senti inveja do vizinho que chega em casa todos os dias as 18:15.
Empreender vai muito mais além de ter uma ideia e ganhar dinheiro com isso. Junto com a liberdade de horários, autonomia de decisões e fazer o que se gosta, vem um caminhão (bem cheio) de problemas, entraves e muita dor de cabeça.
“- Mas Gian, até agora você só falou coisas ruins. O seu conselho é desistir de empreender?”
NÃO, de jeito nenhum.

Em Novembro de 2008, em meio a fatídica enchente no Vale do Itajaí, com uma mulher aos 8 meses de uma gravidez gemelar, um metro de água dentro de casa e vendo minhas coisas serem destruídas. Recebi a ligação, do meu então patrão, dizendo: “Cara, é dia 24. Precisamos fechar a meta do mês”.
Tão logo a água baixou e consegui limpar a minha casa, voltei até a empresa para devolver o telefone e pedir as contas.
Decidi que não queria mais aquilo pra mim e voltei a fazer o que eu gostava e sabia fazer de melhor. Comunicar.
Vim de uma família que faliu uma loja de confecção em plena década de 90 em Balneário Camboriú, enterrou um projeto de agência de turismo, um pensamento de que um salário fixo era garantia de estabilidade e que uma carteira registrada era um emprego de verdade. Senti que deveria fazer mais do que ter apenas 1(um) atendimento (com um pedido de emprego) em 4 meses de agência de turismo.

Empreender não é algo simples. A burocracia, impostos, taxas, investimentos, mão de obra, fornecedores, clientes, capacitar-se, conhecer o mercado e se especializar te fazem penar muito.
Mas garanto que é uma delícia.
Fazer o próprio horário? Acordar a hora que quer? Trabalhar a hora que quer? Atender quem quiser?
Esquece!
A arte de empreender começa no momento em que você entende que você é a sua empresa. E como toda empresa, precisa de horários, cumprir prazos, traçar metas, criar planos, prospectar clientes, quem sabe ter um ou mais funcionários e saber lidar com isso.
A arte de empreender começa quando você sente na prática a frase de Confúcio que diz:
“Escolha um trabalho que você ama e você nunca terá que trabalhar um dia sequer na vida”.
A arte de empreender é sentida quando você tem ânsia em ver a segunda-feira chegar e quer que a semana dure eternamente.
A arte de empreender vale a pena quando você, depois de um dia agitado, ainda tem cabeça para pensar durante o banho, como resolver os pepinos do dia seguinte.
A arte de empreender é deliciosamente revigorante, quando você vê o fruto do seu trabalho mudando a vida das pessoas.
A arte de empreender é contagiantemente forte, quando tu desejas que outras pessoas também tenham a coragem que você teve.
A arte de empreender não é apenas de privilegiados.
A arte de empreender é de quem está decidido a VENCER.

Empreenda-se!

Gian Del Sent
Publicitário, Jornalista e Consultor em Marketing
[email protected]

Comente Abaixo