A imprensa local que se dane em Balneário Camboriú

A coluna de hoje é praticamente um desabafo para os leitores entenderem o que a imprensa local passa na mão do governo egocentrista, presunçoso e soberbo, que existe em Balneário Camboriú. Sei que muitos colegas de profissão concordam comigo, mas nem todos falarão o que vou dizer nas próximas linhas.

O fato é que a imprensa local é desrespeitada faz muito tempo por esta gestão. Desde destrates dos gestores, ataque em massa por comissionados e até a falta de respostas por parte da assessoria de comunicação, a imprensa local é colocada em segundo plano, sendo procurada somente quando lhes convém. A hiper valorização de veículos a nível estado, onde o ego dos gestores é inflado com manchetes distribuídas por ai, é uma das principais queixas dos colegas que, dia a dia, estão na batalha por aqui.

Vou trazer dois exemplos que aconteceram somente esta semana, para os amigos que leem esta coluna entenderem o que rola. Tem muito mais.

Pandemia 

Por mais de dois anos, a imprensa local tem feito das tripas coração para levar a informação aos cidadãos. Mesmo com todas as dificuldades do mercado, permaneceu ajudando o governo a divulgar as ações, as alterações nos atendimentos, testes e divulgando os números diariamente, ajudando na conscientização e, principalmente, brigando com o Estado para que ele ajudasse no custeio do atendimento ao COVID feito pela cidade para toda a região.

O sucesso conquistado no enfrentamento a pandemia na cidade teve uma grande participação da imprensa local desenvolvendo seu papel social. Isso é inegável.

Enquanto isso, a mídia estadual, de alguns veículos específicos, desceu a lenha em Balneário Camboriú, fez terrorismo, criticou ações, debochou de tratamentos, achincalhou com a fiscalização e colocou o poder público como responsável pelo alto índice de contaminações. Até o fechamento da praia apoiou, sem nenhuma base científica que justificasse a medida.

Agora, a World Family Organization (WFO) convidou o prefeito da cidade para ir até a Suíça na sede da ONU falar sobre o sucesso da atuação do município no combate ao COVID. Advinha quem recebeu a pauta em primeira mão, mais de 3 horas antes da prefeitura anunciar a novidade? A Mídia Estadual, claro.

A imprensa local ficou sabendo por colunistas de dois veículos estaduais da grande mídia. Ambos devidamente divulgados nas redes sociais do prefeito. Depois, horas depois, a imprensa local recebeu o material da prefeitura. A falta de respeito e consideração foi escabrosa!

Será que vão citar em Genebra a ex-secretária de saúde que atuou, maravilhosamente, tanto na gestão quanto na linha de frente dos atendimentos na fase mais crítica? Ou vão deixar o nome dela empoeirando em um canto, igual fizeram sobre a UPA da Barra?

UPA da Barra 

O anúncio da assinatura da ordem de serviço para a construção da UPA foi mais um exemplo da falta de respeito com a imprensa local. A mesma imprensa que foi atacada quando mostrava problemas no atendimento do PA da Barra e sempre cobrou melhorias. A imprensa local que foi procurada para divulgar o projeto para construção da nova unidade, por várias vezes, e que recebia um “Oiii” no whats seguido de um release para divulgar a novidade.

Esta mesma imprensa não foi convidada para o evento de assinatura da Ordem de Serviço. A cerimônia que anuncia o “inicio do fim” de um problema que se arrasta por anos na cidade, foi restrita a meia dúzia de puxa saco e fotos e vídeos para redes sociais do prefeito. Nem um aviso de pauta, nada.

Aliás, a relação com a imprensa neste governo chega a parecer piada. Em 6 anos de governo apenas uma reunião específica foi realizada. Veículos lá do oeste recebem em publicidade o mesmo valor que os daqui recebem. Tem veículo que não posta notícias de Balneário Camboriú desde dezembro de 2020, mas está em todas as campanhas publicitárias da prefeitura figurando os melhores valores.

Agora então, depois do início da nova gestão da comunicação, a coisa piorou. Até o grupo de whats da imprensa da prefeitura foi fechado para que ninguém se pronuncie.

Fabrício tem que entender que ele é prefeito de Balneário Camboriú e não é “pré” a nada pelo estado, para querer fazer moral com a mídia estadual. Se ele não quer um bom relacionamento com a imprensa local, que pelo menos respeite. Tanto ele quanto sua equipe.



A imprensa local que se dane em Balneário Camboriú

Poucas e Boas – Por Gian Del Sent

Publicidade