A placa da discórdia. Equívoco ou incompetência? – Coluna Ácido Úrico

Nesta terça-feira (06), uma placa foi flagrada sendo instalada na Av. Martin Luther, próximo a esquina da Rua Líbia, no Bairro das Nações. Até ai, tudo normal.

O fato é que a placa sinalizava a via como sendo de 30km/h, mesmo sem escolas, hospitais, postos de saúde ou igreja por perto. O fato causou um “frenesi” nos grupos de whats e no facebook, e o vídeo rapidamente viralizou nas mídias sociais.

Nos grupos, muito silêncio de quem deveria esclarecer os questionamentos. Ninguém da prefeitura se manifestava para justificar o feito.

Depois de algum tempo, a primeira resposta. Resolução 738/2018 do CONTRAN, que em seu Art. 6º, item I diz:

Art. 6° A implantação de travessia elevada para pedestres deve ser acompanhada da devida sinalização, contendo, no mínimo:
I – Sinal de Regulamentação R-19 – “Velocidade máxima permitida”, limitando a velocidade em até 30 km/h, sempre antecedendo a travessia, devendo a redução de velocidade da via
ser gradativa, conforme critérios estabelecidos no Volume I – Sinalização Vertical de Regulamentação, do Manual Brasileiro de Sinalização de Trânsito, do Contran;

Essa justificativa, foi logo depois alterada para outra justificativa que colocava a culpa na empresa responsável pela colocação da sinalização vertical no município. A frase, copiada e colada por vários, dizia que a empresa se “equivocou” e já teria ordem para retirá-la.

Vamos lá

O fato é que houve um equívoco sim, mas por parte do próprio departamento de trânsito, que resolveu aplicar a resolução 738 do Contran em meio ao furacão causado pela “re” implantação dos radares na cidade.

Tanto é que uma outra placa, também de 30km/h, foi colocada na esquina com a rua Peru, antes da travessia elevada, substituindo uma de 50km/h que estava no local. Seguindo o que manda a resolução do Conselho Nacional de Trânsito. E ela também foi retirada depois do bafafá.

Imagem da Av Martin Luther, com rua Peru, em fevereiro de 2019.

O caso da esquina da rua Líbia, aquela do vídeo, só teve um erro. Estavam colocando a sinalização sem nem mesmo ter sido implantada a travessia elevada no local.

A travessia elevada no local é, de fato, muito necessária, devido a grande movimentação de pessoas na região. Os radares vai ser assunto para uma outra coluna. Prefiro deixar instalar mais alguns antes de tecer os comentários do que penso.

Mais uma vez, as testas oleosas que se acham mentes brilhantes da prefeitura, metem os pés pelas mãos e causam mais um desgaste, totalmente desnecessário, na administração municipal.

Seria um bom momento para colocar em prática a resolução do Contran? Já que está atrasado, afinal a resolução dava até 30 de junho de 2019 para a adequação, custava esperar mais um pouco e deixar baixar a poeira? Ou melhor, não seria mais fácil primeiro implantar as travessias para depois sinalizar com a velocidade?

Será que é tão difícil para as “mentes brilhantes” se ligarem quando é a hora ou não de tomar algumas iniciativas? E o pior, quem assina autorizando isso?

Fica o questionamento.

Comente Abaixo