A saga do Santa Inês – Coluna Ácido Úrico

Em janeiro de 2007 sofri um acidente de moto na Av. Alvin Bauer. Fui levado para o PS do Santa Inês para cuidar dos ferimentos que me deixaram 30 dias de cama. Entre fraturas e afins, estive na sala de procedimentos daquele hospital para fazer alguns pontos no nariz, joelho e supercílio.

Lembro claramente do enfermeiro dizendo que tinha que economizar gaze na limpeza pois estava em falta. Os pontos foram feitos sem anestesia, pura adrenalina. Então dizer que sentimos saudade do Santa Inês, é um pouco de exagero. Faz tempo que não estava muito bom.

O hospital, que por muitos anos serviu bem a população de toda região, trabalhava um pouco por convênio, um pouco SUS e um pouco com dinheiro da prefeitura. Apelidado de matadouro por muitas vezes, perdeu a preferencia nos anos 90 com a abertura do Hospital de Camboriú. Inclusive muitos nascimentos aconteceram por lá.

Com a abertura do Hospital Ruth Cardoso, o Santa Inês perdeu a maior parte de sua fonte de recurso. Não aguentando mais manter as despesas, fechou as portas em 2012 no governo Piriquito. Até tentou reabrir em 2015, sem sucesso. Os hospitais particulares que atendiam os convênios já estavam anos luz a frente, com instalações muito melhores e mais bem estruturados. De lá para cá o palco de boas lembranças, e outras nem tanto, ficou a mercê do tempo.

Pandemia 

Com a pandemia que assola o mundo, foi proposto ao Governo do Estado usar a estrutura existente para montar um hospital de campanha. O Estado nem bola deu. Foi bem na época em que o estado pretendia gastar 75 milhões de reais para uma estrutura de 6 meses em Itajaí. Com esse valor, poderia comprar e equipar o Santa Inês. Posteriormente descobrimos o porque da sede em montar a estrutura em Itajaí, contratada de uma maneira minimamente suspeita.

Estranho

O engajamento de alguns políticos no apoio a abertura do Santa Inês é um pouco estranho. Eles usam o termo “abertura”, sim. O único com um papo mais coerente é o Ivan Naatz, que cobrou do Estado essa ativação temporária. Os demais parecem até que tem comissão sobre os valores que podem ser gastos de tanta propaganda que fazem. Uma hora ao prefeito e, as vezes, para o governador. Ano de eleição a gente espera tudo né?

Região 

A estrutura de Balneário tem atendido a demanda de Balneário. A necessidade de novos leitos é para a região, logo, é responsabilidade das prefeituras e do Governo do Estado. Ta ai uma boa pauta para a AMFRI. Dinheiro do Governo Federal está caindo na conta das prefeituras e tem algumas que não tem nem onde aplicar o recurso. Bora ativar os leitos no Santa Inês meu povo.

Furou

No último domingo (26) o Portal Visse iria fazer uma live com o Prefeito Fabrício Oliveira para falar sobre esse estudo para ativação de leitos no Santa Inês. Explicar como está sendo o processo e iria passar mais algumas informações exclusivas sobre o trâmite. A live ainda iria abordar assuntos como a relação com o Governo do Estado, com outros municípios, recursos recebidos e afins. Infelizmente o Prefeito furou com o Visse e deixou o Portal no vácuo. Uma pena.

Furou II

Mas as informações que seriam faladas com exclusividade ao Portal Visse no domingo,  foram passadas a comunidade no programa Canal 100 da Rádio Menina na segunda-feira, ao radialista Adilson de Souza. O importante é informar a população.

Furos

Teve mais informação que foi publicada com exclusividade em outros veículos sobre um decreto que fala do isolamento vertical em Balneário Camboriú. O decreto era pra ter saído hoje (28) e não saiu. Questionei a assessoria de imprensa sobre o que foi publicado e do que se tratava, mas sem muitos detalhes. Apenas que o decreto sairia “amanhã”(hoje)

Furos II

Não me importo com pautas. Furos de reportagem são bons para um canal, com certeza. Mas prezo muito mais pelo compromisso. Compromisso para mim é lei. De promessas já basta o que passamos a vida ouvindo. Compromisso firmado tem que ser cumprido ou ao menos justificado. É assim que o Jornalista Gian Del Sent trabalha. É assim que o Portal Visse trabalha. Com seriedade e com compromissos levados a sério.

É por isso que estamos a quase 4 anos no ar, com mais de 37 mil seguidores e uma audiência que ultrapassa 2.5mi de alcance todos os meses. Com seriedade.

 

A saga do Santa Inês – Coluna Ácido Úrico – Por Gian Del Sent

Comente Abaixo