A “Vergonha Alheia” de cada dia II

Na segunda edição do “Vergonha Alheia” trago as peripécias do mundo político da nossa região. Desde aspirantes a “Datena” até político desempregado e desocupado, tem de tudo.

Textão

Quem pagou o mico da década esta semana foi o ex-prefeito de Balneário Camboriú, Edson Piriquito. Num textão nas redes sociais, exalando rancor no estilo “Casos de Família”, ele falou uma montoeira de barbaridades sobre o vice-prefeito Carlos Humberto. O textão foi na mesma pegada de quando Pavan catou Auri para ser cabeça de chapa em 2020.

Textão II

As palavras de Piriquito, que falam muito mais sobre ele mesmo do que sobre Carlos, viralizaram nos grupos de Whats. Foi unanime, tomou lambada até no céu da boca. Piriquito esquece de um passado não muito recente e adota o discurso de Lênin: “Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é”.

Ouvi um papo de que o ex-prefeito, que está desempregado e pelo jeito com bastante tempo sobrando, iria para o PL. Duvidei, achei absurdo. Mesmo porque o próprio CH não aceitaria isso. Será que era verdade? Imaginem: “Piriquito de malas prontas e recebendo um não do vice-prefeito.” Olha que a narrativa fecha certinho com o papelão que ele fez quando tomou a rasteira de Pavan, hein.

Divino 

O chefe de gabinete do prefeito Elcio de Camboriú, agora está apresentando um jornal da programação da Rádio Divino Oleiro. Além de usar a rádio dos pastores como extensão da comunicação da prefeitura, agora pegaram a rádio do padre também. Me falaram que no último dia 15, o moço o reclamou da educação do Estado. Fui conferir e vi a fala do menino que excomungou para toda a paróquia que há 30 anos não é aberta uma escola estadual na cidade. Ainda disse que a demanda é grande e que Camboriú precisa de mais escolas estaduais para atender o ensino médio.

Abençoado 

Ariel Silva não tem muita noção da história da nossa cidade e acredito que nem saiba quantas escolas estaduais existam em Camboriú. Com pouco mais de 85 mil habitantes (IBGE-2020), o município tem a “bagatela” de 5 (cinco) escolas estaduais. O mesmo número de escolas que a vizinha Balneário Camboriú, com quase 150 mil habitantes. No José Arantes, por exemplo, sobra vagas. Inclusive em 2018 transformaram duas turmas noturnas de magistério em uma, pela falta de alunos.

Acredito que o moço do gabinete não saiba nem mesmo que as escolas estaduais em Camboriú fazem inclusive o ensino fundamental (que embora o Estado forneça, é também obrigação do Município). O Município de Camboriú tem pouco mais de 2400 alunos matriculados no ensino médio.

Abençoado e desinformado

Camboriú tem hoje, para atender o ensino médio, 5 escolas estaduais, 4 escolas particulares e mais um Instituto Federal. Estamos muito bem servidos de unidades e vagas sobram. O problema na rede estadual é o sucateamento das escolas que estão abandonadas pelo Governo do Estado há muitos anos.

O moço esquece que a gerente regional de educação é Cleonice Berejuk, a eterna indicada do MDB ao cargo, que permite que esse desleixo aconteça. O secretário hoje é Fernando Vampiro, também do MDB. Ao invés de Ariel Silva usar tudo isso para ir pra cima do Estado e cobrar melhorias na rede já existente, vai, irresponsavelmente, falar abobrinhas no ar e sem nenhuma noção do que está dizendo.

Enquanto o chefe de Gabinete do prefeito Elcio Kuhnen reclama que o Governo do Estado que não abre novas escolas, Camboriú tem duas escolas só na carcaça, com a construção parada há 2 anos, e uma terceira que ninguém consegue finalizar para abrir. Vai reclamar disso no ar também senhor jornalista/apresentador/chefe de gabinete??

Te informa moço. Falar alto e dar pitaco em rádio sobre o que não se tem conhecimento, temos bastante. Seja mais responsável.

Culpa do Anterior

Em entrevista ao Bote a Boca no Trombone na manhã desta quarta-feira, 24, o secretário de obras de Balneário Camboriú, Mazoca, teve a audácia de dizer que o problema na Rua Pedras Brancas, no Nova Esperança, é um problema antigo que poderia ter sido resolvido pela gestão anterior.

Pera lá. Primeiro que a gestão anterior é do atual prefeito. (acho que Mazoca ainda não saiu de 2020). Segundo que o problema naquela rua existe sim há muitos anos e as promessas para resolver o problema existem há muitos anos também, inclusive sob a batuta do atual prefeito.

Agora, depois de mais de 4 anos de mandato, dizer que poderia ter sido resolvido pela gestão anterior? Misericórdia hein Mazoca! Gosto de ti, mas tenha mais respeito e não subestime a inteligência da população, por favor.


A “Vergonha Alheia” de cada dia II
Coluna Ácido Úrico – Por Gian Del Sent