Adélio Bispo passa por perícia médica para definir se pode ser solto

Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada no presidente Jair Bolsonaro (PL), passou por uma nova perícia médica nesta segunda-feira (25), no Presídio de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

A avaliação, feita por peritos da Justiça Federal, vai determinar se Adélio ainda oferece perigo para Bolsonaro e para a sociedade, e se o quadro mental apresentado na época de sua sentença ainda persiste, o que vai definir se ele pode ser solto.

De acordo com a Defensoria Pública da União (DPU), a defesa de Adélio Bispo indicou uma psiquiatra como assistente técnica para acompanhar os exames.

Os peritos agora terão 30 dias para concluírem seus trabalhos e determinarem a cessação ou permanência da periculosidade.

Relembre o caso

No dia 8 de setembro de 2018, o presidente Jair Bolsonaro cumpria agenda de campanha em Juiz de Fora, cidade de Minas Gerais, quando foi esfaqueado por Adélio Bispo, que foi preso no mesmo dia e confessou ser o autor da facada contra o então candidato à Presidência da República.

Em novembro de 2021 a Polícia Federal reabriu a investigação sobre o atentado a faca contra o presidente Jair Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018. O inquérito foi retomado após o sinal verde do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), em Brasília, que no início do mês derrubou as restrições que vinham travando as apurações.

A PF poderá agora analisar o material obtido a partir da quebra de sigilo bancário do advogado Zanone Manuel de Oliveira Júnior, que na época do crime defendeu Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada.

O delegado Rodrigo Morais Fernandes também poderá acessar o conteúdo da operação que fez buscas no escritório do advogado, ainda em 2018. Na ocasião, os agentes apreenderam celular, livros caixa, recibos e comprovantes de pagamento de honorários, mas não puderam se debruçar sobre o material por decisão liminar da Justiça, anulada pelo TRF1.

SCC 10

Publicidade