Adolescente esfaqueada pela mãe em BC segue em estado grave

A adolescente de 13 anos esfaqueada na última quinta-feira (5), em Balneário Camboriú, segue internada em estado grave. De acordo com o boletim médico do Hospital Municipal Ruth Cardoso, a vítima passou por cirurgia no tórax no mesmo dia do ataque e se recupera na UTI (Unidade de Tratamento Intenso).

A garota foi atingida por uma faca de cozinha no peito e sofreu um corte profundo na região. A mãe da menina é a principal suspeita do crime.

O crime ocorreu por volta das 16h na orla da Avenida Atlântica. A DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso) abriu dois inquéritos para elucidar o caso.

Uma das investigações apura o que motivou a tentativa de assassinato. Já a outra investiga a suspeita de crime de estupro de vulnerável, uma vez que a vítima estaria em um relacionamento com um vendedor ambulante de 32 anos.

Segundo a Polícia Civil, a garota havia fugido de casa há cerca de dez dias, e estava morando com o vendedor ambulante.

No dia do crime, a adolescente foi vista ao lado dele, vendendo salgados e bolos em um quiosque. Ao saber da notícia, a mãe foi até o local e descobriu que os dois estavam em um relacionamento. A partir daí, as duas começaram a discutir.

Uma câmera de monitoramento registrou o ataque. Nas imagens, é possível ver a briga entre elas.

“Em determinado momento, a mãe pega a faca e desfere um golpe na filha, de cima para baixo. Ambas estavam bem alteradas”, contou o delegado responsável pelo caso, Ícaro Freitas Malveira.

Após o crime, a mãe foi presa em flagrante, encaminhada ao presídio de Itajaí, e irá responder por tentativa de homicídio com a qualificadora de motivo fútil.

Homem será indiciado por estupro de vulnerável

De acordo com o delegado Malveira, o ambulante que estava com a adolescente antes da tentativa de assassinato será indiciado por estupro de vulnerável. Em depoimento na semana passada, o homem, que é natural do Rio Grande do Sul, confessou que manteve relacionamento com a garota.

“Ele confessou que estava há cerca de dez dias com a garota na residência dele e que estavam mantendo relação sexual. Ele também confessou ter ciência da idade dela”, contou Ícaro.

Na tarde desta terça-feira (10) uma testemunha que presenciou o crime irá prestar depoimento. Além disso, um médico-legista deve ir ao hospital realizar um exame na garota, para atestar a violação. Após os procedimentos, os dois inquéritos devem ser enviados para a Justiça.

Depoimentos controversos

De acordo com o delegado responsável pelo caso, há controvérsias nos depoimentos. Aos guardas municipais, no local da ocorrência, a mãe relatou que teria pegado a faca de dentro do quiosque para atacar o homem, mas que a filha teria entrado na frente.

Já no depoimento na delegacia, a mulher mudou a versão e disse que ficou “cega de raiva e desferiu golpes no ar”.

Naturais de Foz do Iguaçu, no Paraná, mãe e filha estavam em Santa Catarina havia dois meses. As duas moravam em Bombinhas. Antes de estabelecer a residência na cidade, no entanto, elas foram acolhidas na casa do ambulante.

Após a suspeita de que a mãe seria usuária de drogas, o homem pediu para que elas fossem embora, segundo as apurações do delegado.

Comente Abaixo