ALESC: Audiência vai discutir impactos da Carne Fraca na agricultura familiar de SC

A Comissão de Agricultura e Política Rural da Assembleia Legislativa aprovou, em reunião na tarde desta terça-feira (28), a realização de uma audiência pública para discutir os impactos da crise provocada pela Operação Carne Fraca da Polícia Federal nas agroindústrias catarinenses e na agricultura familiar do estado. O pedido para a audiência partiu do deputado Dirceu Dresch (PT).

O dia e o local do evento ainda são definidos, conforme consenso entre o proponente da audiência, a Mesa Diretora da Alesc e a Comissão de Agricultura. Dresch solicitou que o encontro fosse realizado no Extremo-Oeste, mas o colegiado discute a possibilidade do evento ser promovido em Florianópolis, devido ao grande número de órgãos e instituições que serão convidados, como Ministério da Agricultura e Pecuária, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Epagri, Cidasc, Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, entidades ligadas à agricultura familiar, entre outros.

Os impactos da operação da PF na agropecuária catarinense também foram discutidos durante a reunião desta segunda. O presidente da comissão, deputado Natalino Lázare (PR), afirmou que o colegiado tem acompanhado de perto todas as movimentações do poder público e da cadeira produtiva da carne para reverter os impactos negativos da operação, principalmente no exterior.

“Estamos atentos e vigilantes, dialogando com a sociedade sobre essa questão, mas no momento as decisões dependem mais de ações do governo federal e na área diplomática”, disse Natalino. “Brasília tem monitorado toda a situação, com uma mobilização forte. Em Santa Catarina, ficou definido que o governador Raimundo Colombo será o representante do estado junto ao governo federal nessa mobilização.”

Os membros da comissão elogiaram a atuação dos governos federal e estadual no enfrentamento dos impactos da Operação Carne Fraca. “A ação do governo federal foi providencial, agiu de forma rápida”, disse Valdir Cobalchini (PMDB).

O deputado Altair Silva (PP) comentou sobre a manifestação realizada na semana passada em Chapecó, chamada Carne Fraca, que levou agricultores e empresários para as ruas do centro da cidade. “Não cabe a nós condenarmos a ação da PF, mas houve muita distorção. Precisamos valorizar o produto de Santa Catarina”, resumiu o parlamentar.

Habitação Rural
O deputado Mauro de Nadal (PMDB) fez um relato da viagem a Brasília, ocorrida na semana passada, na qual tratou sobre a retomada da liberação de recursos para a habitação rural. O assunto foi tema de uma audiência pública, realizada pela Alesc em dezembro passado.

Nadal se reuniu com o ministro das Cidades, Bruno Araújo. De acordo com o deputado, na sexta-feira (24), o Ministério das Cidades publicou decreto autorizando a liberação de recursos para 4 mil unidades habitacionais rurais no Sul do país. “Esse decreto traz as novas regras para a construção dessas unidades. É uma grande conquista, porque Santa Catarina tem pouco mais de 2 mil projetos prontos, que aguardam apenas a liberação dos recursos para dar início à construção das casas”, disse.

Cedups
A Comissão de Agricultura também aprovou, nesta segunda-feira (28), a realização de uma audiência para discutir as condições dos Centros de Educação Profissional (Cedups). O pedido partiu dos deputados Altair Silva e Darci de Matos (PSD). A audiência será realizada na sede da Alesc, em abril, em data a ser definida.

Os membros do colegiado ainda manifestaram preocupação com a greve dos caminhoneiros em cidades portuárias de Santa Catarina. Valdir Cobalchini (PMDB) solicitou o envio de um comunicado ao governador do estado e ao secretário de Segurança Pública, demonstrando a preocupação do Parlamento com os impactos da greve para a economia catarinense.

Também participaram da reunião desta segunda os deputados Cesar Valduga (PCdoB), Dóia Guglielmi (PSDB) e Padre Pedro Baldissera (PT).

Marcelo Espinoza
Agência AL