ALESC: Trabalhadores dos Correios pedem apoio contra privatização da empresa

O secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telegráfos (Sintect/SC), Gilson Vieira, fez um apelo na tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (18), pedindo apoio dos parlamentares contra a demissão de 25 mil funcionários e a privatização da empresa. O espaço na tribuna foi concedido por solicitação do deputado Cesar Valduga (PCdoB).

A previsão de crescimento do faturamento dos Correios para este ano é de 16,2%. O faturamento de mais de R$ 20,3 bilhões cresceu R$ 4 bilhões do último ano para cá, conforme o sindicalista. Vieira reivindicou a realização de uma audiência pública, com a convocação do presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telegráfos (ECT), Guilherme Campos, para que comprove que a empresa passa por maus momentos. Conforme Vieira, os Correios são a única empresa estatal do mundo que cresce mais de 15% ao ano, mesmo assim, a estratégia do governo é sucatear e privatizar a prestadora de serviços com maior capilaridade no país.

O representante dos trabalhadores listou as medidas que vêm sendo tomadas para o sucateamento da empresa. O principal ataque aos funcionários veio com a criação da CorreiosPar e a privatização do plano de saúde, primeiro benefício retirado. Desde 2011 não é realizado concurso público e 15 mil funcionários foram desligados nesse período com o plano de demissão incentivada. O centro de distribuição de Brusque tinha 27 funcionários, hoje tem 11, conforme exemplificou. Outra estratégia citada é o fechamento de agências. “Só aqui no estado foram fechadas 56 agências. Isso é um crime porque o correio é a única empresa que está em todos os municípios, muitas vezes é a única agencia bancária nos pequenos municípios”, disse. O sucateamento da frota de veículos foi outra medida criticada por ele.

Os Correios têm 334 anos, 115 mil funcionários e estão presentes em mais de 5 mil municípios do país. Os trabalhadores da empresa fizeram uma greve recente de 13 dias contra a pauta de privatização e a demissão de funcionários. O deputado Cesar Valduga disse que os Correios são motivo de orgulho para o país. “Me sinto orgulhoso de ver um trabalhador dos Correios trajado de amarelo e azul na tribuna do Legislativo”, comentou o deputado, crítico às medidas tomadas pelo governo. A deputada Ana Paula Lima (PT) acrescentou que “a onda de privatização precisa ter um basta no Brasil”. Ela parabenizou a categoria e pretende assinar com Valduga a proposição de uma audiência pública para debater o futuro da empresa e a situação dos trabalhadores.

Lisandrea Costa
Agência AL