AMFRI deve voltar para o status Grave (laranja) da matriz de risco nesta semana

Quatro regiões devem aumentar o risco de contágio para a transmissão do novo coronavírus, segundo o Mapa Preliminar que a reportagem teve acesso.

Foz do Rio Itajaí, Alto Vale do Itajaí, Serra Catarinense e região Oeste tiveram o risco de contágio aumentado, pulando de alto para grave. A mudança deve ser confirmada nesta quarta-feira (28).

Por outro lado, duas regiões fizeram o movimento inverso onde o risco de contrair o novo vírus regrediu, saindo de grave para alto: Alto Uruguai e Planalto Norte.

Com a nova distribuição são oito regiões do Estado em nível grave (em laranja) e outras oito regiões com risco alto (amarelo) para a transmissão da Covid-19. Nas últimas seis semanas nenhuma região esteve em risco gravíssimo para o contágio (em vermelho) o que reitera a condição de redução na curva em todo o território catarinense.

Alerta no número de mortes

Duas regiões estão em alerta depois no aumento no número de óbitos oriundos do novo coronavírus: Extremo Oeste e Serra Catarinense ultrapassaram a relação de mortalidade 2/100.000 habitantes e, nesse aspecto, aponta alerta para a expansão do vírus.

Transmissibilidade

Quatro regiões tiveram alta no número de casos confirmados, bem como variação nos casos ativos para a doença: Extremo Sul, Serra, Médio Vale do Itajaí e Alto Vale do Itajaí.

Região em alerta

Indica quando a região diminui a capacidade de identificar casos, ou seja, quando menos casos são investigados, nesse caso, a região da Foz do Rio Itajaí.

A maioria das regiões encontra-se em nível Grave para o monitoramento demonstrando que há necessidade de aprimorar a investigação de contatos de casos e vigilância ativa por meio de qualificação da realização do inquérito de síndrome gripal na comunidade.

Baixa ocupação de leitos

A maioria das regiões encontra-se com baixas ocupações de leitos de UTI. A região do Planalto Norte tem ocupações maiores.

Comente Abaixo