AMFRI volta para o nível moderado na Matriz de Risco

Um novo modelo de matriz de risco potencial regionalizado será utilizado oficialmente em Santa Catarina a partir deste sábado, 26. Ela passa a incorporar indicadores de vacinação tanto da população em geral (esquema primário de duas doses ou dose única), quanto da população com 60 anos e mais (esquema primário + dose de reforço).

De acordo com a nova matriz, apenas uma região foi classificada no nível Moderado (cor azul): a Foz do Rio Itajaí; uma região foi classificada como nível Grave (cor laranja): o Médio Vale do Itajaí; e 15 regiões foram classificadas como nível Alto (cor amarela): Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Carbonífera, Extremo Oeste, Extremo Sul Catarinense, Grande Florianópolis, Laguna, Meio-Oeste, Nordeste, Oeste, Planalto Norte, Serra Catarinense, Vale do Itapocu e Xanxerê.

Em um comparativo com o relatório divulgado na semana anterior, que ainda utilizava a dimensão monitoramento, houve piora nas quatro regiões que estavam classificadas no nível Moderado (azul) e que passaram a ser classificadas no nível Alto (amarelo): Alto Vale do Rio do Peixe, Carbonífera, Grande Florianópolis e Laguna. Também houve piora no Médio Vale do Itajaí, que estava classificada no nível Alto (amarelo) e passou a ser classificada no nível Grave (laranja) e melhora na Foz do Rio Itajaí, que estava classificada como nível Alto (amarelo) e passou a ser classificada no nível Moderado (azul). Para as demais regiões, não houve mudança de classificação.

:: Matriz completa aqui 

Destaca-se que o Estado apresenta um plano de contingência para pronta disponibilização de leitos de UTI para atendimento de pacientes com Covid-19, caso seja necessário, assim como mantém os leitos disponíveis para tratamento de demais patologias. Portanto, mesmo com a disseminação da variante Ômicron por todo o Estado, não existe comprometimento da capacidade de atenção de alta complexidade no momento

O principal objetivo da matriz de risco é ser uma ferramenta de tomada de decisão. A nota final do mapa de risco considera um intervalo de variação mais adaptado para cada nível, sendo de 1 a 1,9 como moderado, 2 a 2,9 como alto, 3 a 3,9 como grave e igual a 4 como gravíssimo.

Publicidade