Após chamar Bolsonaro de “genocida”, Felipe Neto irá depor por Crime de Segurança Nacional

Por meio de suas redes sociais, o YouTuber Felipe Neto relatou que foi intimado pela polícia para responder por “crime contra a segurança nacional” após ter chamado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de “genocida”.

Além dele, a atriz Bruna Marquezine também foi alvo da denúncia de Carlos, pois a atriz global teria difamado o presidente.

Felipe Neto; Bolsonaro; Genocida; Crime; Segurança
Hashtag “BolsonarGenocida” tomou os trending topics após a postagem de Felipe Neto – Foto: Reprodução/Twitter/ND

A queixa-crime foi aberta pelo filho do presidente, o vereador da Câmara carioca, Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Segundo o YouTuber, Carlos Bolsonaro realizou a queixa ao mesmo delegado que teria indiciado Felipe por “corrupção de menores”.

“A clara tentativa de silenciamento se dá pela intimidação. Eles querem que eu tenha medo, que eu tema o poder dos governantes. Já disse e repito: um governo deve temer seu povo, NUNCA o contrário. Carlos Bolsonaro, você não me assusta com seu autoritarismo”, disse Felipe Neto em suas redes sociais.

 

A justificativa do YouTuber é de que a suposta negligência do presidente da república o faria merecedor da atribuição de “genocida”.

Felipe Neto também citou um caso anterior, em que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) arquivou processo de crime contra a segurança nacional por críticas ao presidente, também em virtude da atribuição do termo “genocida”.

Carlos Bolsonaro, por sua vez, fez uma postagem usando uma imagem em que a atriz aparece nua na série Nada Será Como Antes, e outra do YouTuber fazendo uma careta. O vereador citou o Art. 138 do Código Penal, que prevê pena de 6 meses até dois anos por caluniar alguém falsamente.

“Carlos Bolsonaro abriu queixa-crime contra mim e Bruna Marquezine por xingarmos o presidente. Para divulgar a notícia, ele utilizou uma foto da Bruna nua, num trabalho de dramaturgia, com os seios cobertos por estrelinhas vermelhas, dando a ela uma conotação sexual de maneira rasteira, vergonhosa”, respondeu Felipe Neto.