‘Aproveito impopularidade para tomar medidas necessárias’, diz Temer

O presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (22) que está aproveitando a impopularidade de seu governo para tomar medidas consideradas impopulares, mas que, na sua avaliação são “necessárias ao país”, como as reformas Trabalhista e da Previdência.

“Um governo com popularidade extraordinária não poderia tomar medidas impopulares”, afirmou o presidente durante café da manhã com jornalistas no Palácio da Alvorada. “Estou aproveitando a suposta impopularidade para tomar medidas impopulares”, completou.

De acordo com a última pesquisa Datafolha, a popularidade de Temer despencou desde julho, acompanhada da queda de confiança na economia a níveis pré-impeachment de Dilma Rousseff.

Segundo o levantamento, 51% dos brasileiros consideram a gestão do peemedebista ruim ou péssima, ante 31%, em julho. Além disso, 63% dos entrevistados querem a renúncia do presidente para a realização de eleições diretas.

Temer disse que não tem pensado em renunciar e que, caso o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decida por cassar a chapa Dilma-Temer por suposto abuso poder político e econômico nas eleições de 2014, ele pretende recorrer com “recursos e mais recursos”.

Após o café da manhã, porém, o presidente disse que não abria mão da popularidade, mas que os índices não o incomodavam para governar.

“Abala, mas não incomoda para governar”, finalizou.

Ao lado de Temer no café da manhã estavam os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Dyogo Oliveira (Planejamento).

(Por UOL)

Comente Abaixo