Assassino de creche estava em plenas condições psicológicas na hora do crime

Atentato em escola de Saudades, no Oeste de Santa Catarina, nesta manhã de terça-feira (4) – Foto: Imprensa do Povo/Divulgação ND

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) informou nesta quarta-feira (20) que a perícia médica oficial indicou que o acusado do ataque a creche de Saudades, no Oeste, tinha “plena capacidade de entender o caráter criminoso do fato”. O documento também atestou que, atualmente, ele sofre de distúrbio, mas que isso não comprometeu a autonomia do jovem no dia do crime.

O exame pericial foi anexado ao processo judicial na terça-feira (19). Segundo o MPSC, o juiz responsável pelo caso vai decidir se ele será julgado pelo tribunal do júri. O réu, um jovem de 18 anos, segue preso.

O crime ocorreu em 4 de maio deste ano. Três bebês e duas funcionárias da creche foram assassinados (veja mais abaixo). Uma quarta criança ficou ferida, mas sobreviveu.

O réu responde por cinco homicídios qualificados e 14 tentativas de homicídio, contra outros funcionários e crianças que estavam na creche quando ele invadiu a unidade.

“Ainda, segundo a perícia, ele apresentava estado mental, emocional e de comportamento congruentes com capacidades cognitivas à época”, disse o MPSC.

O MPSC irá analisar as conclusões do laudo pericial.

Veja quem são as vítimas do atentado

Keli Adriane, Sarah Luiza, Anna Bela, Murilo Massing e Mirla Renner são as vítimas do atentando a creche em Saudades (SC) — Foto: Reprodução/Redes Sociais; Reprodução/NSC TV
Keli Adriane, Sarah Luiza, Anna Bela, Murilo Massing e Mirla Renner são as vítimas do atentando a creche em Saudades (SC) — Foto: Reprodução/Redes Sociais; Reprodução/NSC TV
  • Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, era professora e dava aulas na unidade havia cerca de 10 anos;
  • Mirla Renner, de 20 anos, era agente educacional na escola;
  • Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses;
  • Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses;
  • Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses.